MOISÉS Ângelo de Moura REIS

Fonseca Neto

(1946). Quarto e Atual Ocupante da Cadeira nº 28 da APL. 

Nasceu em 13 de fevereiro de 1946, na cidade de Oeiras. Filho de Hipólito Constâncio da Silva Reis e de Maria de Jesus Moura Reis. Formado em direito pela Universidade Federal do Piauí. Mestre em Direito Internacional Econômico e Tributário pela Universidade Católica de Brasília. É advogado e escritor.

Bacharelado em Direito Pela Universidade Federal do Piauí – 1974; Especialista em Direito Tributário pela Universidade Estadual do Ceará-2005; Mestre em Direito Internacional e Tributário pela Universidade Católica de Brasília. Cargos Executivos: Secretário de Fazenda do Estado do Piauí; Procurador Geral do Munícipio de Teresina; Diretor Geral do Tribunal de Justiça do Piauí; Cargo Político: Deputado Estadual; Livros Publicados: Olhos de Argus-(1999); Flores Vermelhas em Noites Azuis-(2008); Constitucionalismo e Profecia em Roberto Campos. O liberal e o Liberalismo na Constituição de 1988. (2014)

OCUPANTE ANTERIOR

Paralisação das atividades ‘sine die’ da APL

A Academia Piauiense de Letras comunica que, em função da pandemia do Coronavirus (COVID-19), declarada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), e seguindo as orientações das autoridades brasileiras de prevenção do contágio, SUSPENDEU as suas atividades sine die a partir desta data.

A suspensão abrange eventos no auditório, como lançamentos de livros, palestras, oficinas literárias, etc., bem como as reuniões ordinárias e as visitas à Biblioteca e ao Memorial Literário.

A APL funcionará internamente com estrutura mínima e a retomada de seu calendário de atividades e sua reabertura ao público serão precedidas de novo comunicado.

Teresina, 16 de março de 2020

A Diretoria

Francisco VALDECI de Sousa CAVALCANTE

Quarto e atual ocupante da Cadeira nº 17 da APL

Nasceu em 12 de abril de 1962, no município de Parnaíba, Piauí. É advogado e empresário. Professor da Universidade Federal do Piauí. Presidente do Sistema FECOMÉRCIO SESC/SENAC no Piauí e 1º vice-presidente do Sistema CNC/SESC/SENAC. Fundador e dirigente do Lions Clube Teresina “Cidade Verde”. Membro e atual presidente da Academia Maçônica de Letras do Piauí. Membro ainda da Academia de Ciências do Piauí, da Academia Campomaiorense de Artes e Letras, da Academia de Letras de Sete Cidades, da Academia Parnaibana de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico de Parnaíba. Tomou posse na APL em 21 de novembro de 2019.

Bibliografia: “Empreendedorismo e Susentabilidade”, “Empreendedorismo Social do Comércio no Piauí”, “A Lei Divina e a Consciência”, “Oriente Médio – História, religião, tradição, valores, cultura e desenvolvimento”, “A importância das Academias de Letras no Tempo” e “João Paulo dos reis Veloso – Sonhos, virtudes e realizações”.

OCUPANTE ANTERIOR

PLÍNIO da Silva MACEDO

Quinto e atual ocupante da Cadeira nº 3 da APL

Nasceu em 21 de outubro de 1957, no município de São Raimundo Nonato, Piauí. É cirurgião-dentista e professor titular da Universidade Federal do Piauí, onde ingressou como o primeiro professor admitido na instituição com o título de doutor. Membro da Academia Brasileira de Odontologia e da Academia Piauiense de Odontologia. Reeleito presidente da Associação Piauiense de Odontologia. Foi membro do Conselho Universitário da UFPI. Member of American Academy of Periodontology e Active Member of International Academy of Periodontology. Publica com frequência artigos acadêmicos em periódicos especializados no Brasil e no exterior. Tomou posse na APL em 9 de novembro de 2019. Bibliografia: “Médico, Medina e Humanismo no Sertão”.

OCUPANTE ANTERIOR

FELIPE MENDES de Oliveira

Segundo e atual ocupante da Cadeira nº 32 da APL

Nasceu em 19 de abril de 1949, no município de Simplício Mendes, Piauí. É economista e professor aposentado da Universidade Federal do Piauí. Tem uma longa experiência na vida pública, iniciada aos 26 anos, quando exerceu o cargo de secretário estadual de Fazenda, no Governo Dirceu Arcoverde. Deputado Federal Constituinte. Exerceu ainda dois mandatos parlamentares na Câmara Federal. Integrou diversas comissões técnicas no Congresso Nacional, destacando-se a Comissão Mista de Orçamento. Vice-governador. Foi secretário-executivo do Ministério das Cidades. Presidiu a Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco e Parnaíba (COMDEVASF). Tomou posse na APL em 22 de março de 2019. É pesquisador. Publicou, entre outras, as seguintes obras: “Formação Econômica do Piauí (Fundapi, 1995, Cap. III – p.55-81)”, “Economia e Desenvolvimento do Piauí (1662-2002)” e “Água Para Todos”.

OCUPANTE ANTERIOR

José ITAMAR Abreu COSTA

Quarto e atual ocupante da Cadeira nº 18 da APL

Nasceu em Alto Longá, Piauí. É médico cardiologista. Ao lado do exercício de sua profissão, no qual se destaca o papel de fundador e diretor do Hospital ITACOR, em Teresina, tem intensa atuação na área cultural no Piauí, integrando várias entidades literárias, entre elas a Academia de Letras do Vale do Longá (ALVAL), da qual é membro desde 2005. É fundador e presidente da Academia Longaense de Letras, Cultura, História e Ecologia (ALLCHE). Preside também a Academia de Medicina do Piauí e a Academia Teresinense de Letras, recém-fundada. Tomou posse na APL em 5 de abril de 2019.  Bibliografia: “Um hospital de excelência no céu”, “Da Bula à Literatura” e “Coronárias do tempo”.

OCUPANTE ANTERIOR

Academia apoia campanha pela alfabetização na idade certa

A Academia Piauiense de Letras participou, através de seu presidente, Zózimo Tavares, da premiação de 58 municípios que receberam, em Teresina, o ‘Selo Undime Piauí de Alfabetização’.

A cerimônia foi realizada no último dia 5, no Cine Teatro da Assembleia Legislativa, e contou com a participação de prefeitos, entre eles o presidente da APPM, Jonas Moura, parlamentares, gestores, educadores e outros convidados.

Também se fizeram presentes o secretário de Educação, Ellen Gera, o presidente do Conselho Estadual de Educação, e Luís Soares Santos Filho, além de representantes do Tribunal de Contas, Sebrae e outras instituições.

Meta nº 5

A Undime é a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação e nos Estados congrega os secretários municipais de Educação.

O prêmio instituído pela entidade reconhece o desempenho dos municípios que se destacaram na avaliação do cumprimento da Meta 5 do Plano Nacional de Educação.

Essa meta exige que a criança seja alfabetizada até a 3ª. série. Isto é, a partir daí, ela deve saber ler e escrever com fluência, além de compreender o texto.

A campanha da Undime tem o objetivo de elevar o índice de alfabetização no Piauí. A nota mínima estabelecida para a concessão do selo foi de 7, mas muitos municípios conseguiram 8 e 9 na avaliação.

O presidente da APL considerou a iniciativa da maior importância, na medida em que a premiação reconhece e incentiva a alfabetização das crianças na idade certa.

“A leitura é a chave que abre todas as demais portas do conhecimento. É preciso, então, que a criança desenvolva e domine essa habilidade o quanto antes”, comentou.

Acadêmicos prestigiam reabertura do Conselho Estadual de Cultura

O Centro Cultural M. Paulo Nunes, sede do Conselho Estadual de Cultura, no bairro Vermelha, zona Sul de Teresina, foi reaberto hoje (02.03) em solenidade que reuniu autoridades e personalidades da área cultural.

“A biblioteca ganhou acervo, o auditório recebeu climatização, sistemas de som e projeção”, destacou o secretário de Cultura, deputado Fábio Novo, ao falar do novo espaço.

Houve também o lançamento da nova edição da revista Presença, que homenageia o escritor M. Paulo Nunes, ex-presidente do Conselho e da Academia Piauiense de Letras.

O espaço ganhou ainda internet veloz, através do Piauí Conectado e uma parceria para exibição de filmes. A comunidade e escolas do entorno da Vermelha serão chamadas para compartilhar das novidades.

O governador Wellington Dias destacou o esforço do governo para destinar recursos com vistas à dinamização da cultura no Piauí.

O presidente do Conselho Estadual de Educação, Nelson Nery, afirmou que a zona Sul de Teresina viverá uma nova história com o novo Conselho.

Vários membros da Academia Piauiense de Letras participaram do evento, entre eles o presidente Zózimo Tavares, o vice-presidente Magno Pires e a secretária geral Fides Angélica, além de Elmar Carvalho, Felipe Mendes, Itamar Costa, Pedro da Silva Ribeiro, Plínio Macedo e Reginaldo Miranda.

Sai nova edição do livro da família Mendes

A família Mendes lançou em 15 de fevereiro a terceira edição (ampliada) do livro que registra a memória e a descendência de Joaquim Mendes e Isabel Elisa.

O livro, organizado pelo filho mais novo do casal, economista, professor e acadêmico Felipe Mendes, reuniu em Teresina parentes vindos de Fortaleza, Petrolina, Recife, Picos, Paulistana, Brasília, Simplício Mendes, Portugal e outros lugares.

A descendência

Dos 16 filhos do casal, que tem origem em Simplício Mendes, restam nove.

Estiveram ausentes à festa de confraternização da família apenas Sebastião e Osvaldo.

Dolores, de 92 anos, faleceu na véspera. Já haviam falecido Noé, Marcelino, Quincas, Silvio, Elisa e Zélia.

Até a entrega do livro na gráfica, no mês passado, eram 332 descendentes de Joaquim e Isabel Elisa.

Nasceram mais dois após da impressão do livro.

São 16 filhos, 78 netos, 151 bisnetos, 81 trinetos e 6 tetranetos.

 

APL defende a adoção de autores piauienses em audiência pública do CEE

A Academia Piauiense de Letras participou, através de seu presidente, jornalista Zózimo Tavares, da audiência pública realizada hoje (20.02), pelo Conselho Estadual de Educação, para discutir o novo currículo do Ensino Médio.

O debate é travado em todo o país. Cada Estado está encarregado de elaborar as diretrizes curriculares para esta etapa do ensino básico.

Os Estados seguem o cronograma de implementação da Base Nacional Comum Curricular, a BNCC.

Participaram do evento técnicos e dirigentes da Secretaria Estadual de Educação que estão trabalhando a reforma.

Mais de 20 instituições interessadas na questão também se fizeram presentes ao debate e ofereceram propostas.

A Academia, por exemplo, defendeu a adoção do ensino de literatura piauiense nas escolas, como determina a Constituição Estadual, em seu Artigo 226.

Também pediu que seja incluído no novo currículo o cumprimento da Lei 6.553/14 (Lei Merlong Solano). Ela determina que pelo menos um terço dos livros paradidáticos adotados pelas escolas das redes pública e privada sejam de autores piauienses.

As mudanças no Ensino Básico dão margem a que cada Estado defina seu currículo de referência, contemplando as questões regionais e locais.

As escolas também têm autonomia para elaborar seus currículos.