Médico José Itamar Abreu Costa é o novo imortal da APL

Em solenidade realizada na noite de ontem, 5 de abril, o médico e escritor José Itamar Abreu foi empossado como imortal da APL (Academia Piauiense de Letras), ocupando a cadeira de nº18. Ele foi ele eleito em pleito realizado no mês de dezembro passado. Na solenidade, o acadêmico imortal Humberto Soares Guimarães fez o discurso de recepção.

 

“Esse é um momento de muita alegria para mim. Sempre fui incentivado a participar da Academia Piauiense de Letras e hoje consegui estar aqui. Como médico, a leitura e os estudos tem me acompanhado sempre e é essa mensagem que eu quero passar a todos os futuros médicos”, disse José Itamar Abreu Costa.

 

Entre as obras de José Itamar Abreu que o credenciaram a ocupar a cadeira estão: Um Hospital de Excelência no Céu e Coronárias do Tempo.

 

A cadeira nº 18 da Academia Piauiense de Letras já foi ocupada pelos ilustres escritores Herculano Moraes, José Burlamaqui e José Félix Alves. O médico José Itamar Abreu Costa é natural do município de Alto Longá, graduado em medicina pela Universidade Federal do Pará, consolidando-se como um dos mais respeitados cardiologistas do Estado e atualmente ocupando o cargo de presidente da Academia de Medicina do Piauí. Além disso, o novo acadêmico também foi responsável por idealizar e instalar a Academia Longaense de Letras, Cultura, História e Ecologia (IALLCHE).

 

Economista Felipe Mendes toma posse como imortal da Academia Piauiense de Letras

O economista Felipe Mendes tomou posse como imortal da Academia Piauiense de Letras em solenidade ocorrida na sexta-feira (22), no Cine Teatro da Assembleia. Felipe Mendes foi eleito no dia 1º de dezembro e ocupará a cadeira de número 32. Durante a solenidade de posse, a imortal Teresinha Queiroz fez o discurso de recepção.

 

O fundador da cadeira 32 é Antonino Freire. Posteriormente, foi ocupada por Raimundo Nonato Monteiro de Santana. Felipe Mendes é o terceiro ocupante.

 

O novo imortal da APL tem um vasto currículo de serviços prestados ao Estado. Exerceu três mandatos de deputado federal e foi vice-governador do estado. É professor da Universidade Federal do Piauí, já ocupou cargos como secretário estadual de Planejamento, secretário de Planejamento da Prefeitura de Teresina, assessor da Sudene e presidente da Codevasf no segundo mandato da presidente Dilma Rousseff.

Nota de Pesar acadêmico João Paulo dos Reis Velloso

A Academia Piauiense de Letras manifesta profundo pesar pelo falecimento do ex-ministro João Paulo dos Reis Velloso e solidariza-se com familiares e amigos.

Ocupante da cadeira número 17 da Academia, Reis Velloso preparava o livro “A Solidão do Corredor de Longa Distância”, sobre economia mundial e brasileira até 2012, que seria lançado em abril. O ex-ministro deixa um enorme legado para o Brasil e para o Piauí como economista e pelo grande intelectual que foi durante toda sua vida.

 

Novo imortal será eleito em segundo turno no próximo sábado (09)

Os imortais da Academia Piauiense de Letras se reúnem para definir, em segundo turno, o novo ocupante da cadeira 24. A vaga pertencia ao desembargador Paulo de Tarso Mello e Freitas, falecido aos 86 anos. O novo pleito acontecerá no próximo sábado (09).

No primeiro turno, ocorrido no dia 1º de dezembro do ano passado, 13 candidatos concorreram a três cadeiras. Para a cadeira 18 foi eleito o médico Itamar Abreu Costa e para a cadeira 32 o economista Felipe Mendes. Agora, estão concorrendo à vaga da cadeira 24 os candidatos Moisés Reis e Plínio Macedo, que conseguiram maioria no primeiro turno, mas nenhum dos dois atingiu os 19 votos necessários para se eleger.

Conforme o regimento interno, para ser eleito, o candidato deve obter maioria absoluta. Ao todo, estão aptos a votar 37 imortais, já que os dois primeiros eleitos ainda não tomaram posse. Aqueles que residem em Teresina, devem comparecer à sede da academia para depositar o voto na urna. Já os que residem fora, podem enviar o voto pelos Correios. A Comissão Eleitoral é encarregada de arrecadar todas as cédulas de forma sigilosa e fazer a apuração.

O horário da votação segue até as 11h30 do dia 09. Logo em seguida, a comissão faz a apuração e proclama o resultado.

APL lança novos livros e homenageia Alberto Silva e Salomão Azar Chaib

A Academia Piauiense de Letras encerrou as atividades de 2018 no último sábado, 15 de dezembro, com uma homenagem aos 100 anos de nascimento dos ex-acadêmicos Alberto Silva e Salomão Azar Chaib na sede da Casa de Lucídio Freitas. A solenidade contou com a presença de parentes e amigos dos imortais, que se emocionaram com as lembranças e a síntese do legado deixado por ambos.

Em meio a importância da homenagem, o presidente da APL Nelson Nery Costa ressaltou a emoção do momento e fez um balanço das atividades desenvolvidas durante este ano. “É uma emoção, esse ano fizemos várias atividades, e agora prestando homenagem em três centenários, de nascimento de Alberto Tavares Silva, que foi muito especial para o Piauí; Salomão Chaib, com renome internacional e foi muito importante para a nossa medicina e também o centenário da Revista da Academia Piauiense de Letras, e isso nos enche de muito orgulho, então é um momento de muita felicidade e nós podemos fechar este ano com muita satisfação”, afirmou.

Na ocasião, a homenagem a Alberto Silva ficou a cargo do jornalista e acadêmico Zózimo Tavares, que escreve um livro sobre o ex-governador. Já a homenagem a Salomão Azar Chaib, ex-ocupante da cadeira 40, foi comandada pelo médico Gisleno Feitosa. Falecido em 1995, era contista e cronista e se notabilizou como um dos maiores cirurgiões do país. Foi um dos pioneiros no procedimento de cirurgia bariátrica no Brasil. Publicou os livros “E agora, doutor?” e “O caminho da verdadeira medicina”.

Lançamentos

Para encerrar as atividades da Academia em 2018 e consagrar o sucesso da coleção centenário, a solenidade também contou com o lançamento das “Tratamento preferencial para o Piauí”, de Magno Pires; “Capitania do açúcar”, de Afonso Ligório; “A terra e o homem de Pedro II – escritos reunidos”, de Tomaz Gomes Campelo; e o número 75 da Revista da Academia.

Os livros trazem uma contribuição relevante para a construção de um saber mais qualificado, assim, em ‘Tratamento Preferencial para o Piauí’, por exemplo, Magno Pires faz uma síntese do desenvolvimento do Estado, com os seus desafios e perspectivas.

Agora, os eventos promovidos pela Academia Piauiense de Letras serão retomados em fevereiro de 2019.

Imortal: 13 escritores concorrem a cadeiras vagas na Academia Piauiense de Letras

Com três cadeiras em aberto, a Academia Piauiense de Letras elegerá os novos imortais no dia 1º/12, em eleição direta. Ao todo, 13 escritores fizeram a inscrição para concorrer no pleito. “Nos últimos meses, a Academia sofreu com as perdas do desembargador Paulo Freitas, do nosso querido Herculano Moraes e do estimado professor Raimundo Santana. Então, resolvemos unificar as eleições, promovendo todas em uma mesma data”, explica o presidente da instituição Nelson Nery Costa.

 

Os eleitos ocuparão as cadeiras 18, 24 e 32 que pertenciam a Paulo de Tarso Mello e Freitas, Herculano Moraes da Silva Filho e Raimundo Nonato Monteiro de Santana. Cada um dos candidatos, no ato da inscrição, teve a oportunidade de escolher para qual cadeira concorrerá. Entre os pré-requisitos para a participação, segundo o regimento da APL, estão: ser piauiense ou morar no Estado há mais de 10 anos e ter ao menos um livro publicado.

 

Os 37 imortais estão aptos a votar. Cada um deve escolher três nomes, um para cada cadeira. Pelo regimento, a votação poderá ser feita presencialmente (para aqueles que residem no Piauí) ou o voto pode ser enviado em envelope lacrado pelos Correios (para os imortais que moram em outros estados).

 

A comissão eleitoral é presidida pelo professor Fonseca Neto, tendo como membros Magno  Pires, Reginaldo Miranda, Elmar Carvalho e Dilson Lages. É essa comissão que comandará todo o processo. Os votos, tanto os presenciais como os enviados, serão depositados numa urna. Ao final do horário estabelecido, a comissão abrirá a urna e fará a contagem dos votos referentes a cada uma das cadeiras. O resultado é proclamado ao final da apuração.

 

Candidatos

 

Cadeira 18

 

– José Itamar Abreu Costa

– José Gregório da Silva Júnior

 

Cadeira 24

 

– Enéas do Rego Barros

– Eduardo Lins Cavalcante

– Gregório de Moraes

– José Maria de Carvalho

– Kernard Kruel Fagundes dos Santos

– Maria Gomes Figueiredo dos Reis

– Moisés Angelo de Moura Reis

– Plínio da Silva Macêdo

 

Cadeira 32

 

– Edgar Pereira

– Felipe Mendes de Oliveira

– Francisco Teotônio da Luz Neto

Nelson Nery Costa lança obra sobre “desobediência civil” no próximo sábado (27)

A Academia Piauiense de Letras lançará no sábado (27) novas publicações da Coleção Centenário. As obras são: Ermelinda, de Lili Castelo Branco; Teoria e Realidade da Desobediência Civil, de Nelson Nery Costa; bem como Novas Páginas Parnaibanas, de Alcenor Candeira Filho; e O Cantinho do Poeta, de Jonas Piauí.
O lançamento das publicações ocorrerá na sede da instituição centenária a partir das 10 horas. As obras trazem visões diversas sobre a realidade local e nacional, abarcando uma síntese rica da nossa cultura e também da política. Em Teoria e Realidade da Desobediência Civil, por exemplo, Nelson Nery Costa descreve este instituto da democracia política, a partir da análise da redemocratização brasileira e do novo sindicalismo.
A coleção centenário traz para os piauienses obras que reúnem informações, histórias, fatos, relatos e imagens que retratem a história da Academia. “Estamos realizando uma série de eventos em homenagem aos 100 anos da APL; a Coleção Centenário é um desafio editorial e não tem nada similar no Brasil”, indicou o presidente da APL, Nelson Nery Costa.
A instituição está desenvolvendo uma programação desde dezembro do ano passado em que comemora os seus 100 anos. Entre os eventos, já ocorreu a entrega da Medalha do Centenário a mais de 50 personalidades que contribuíram ou tem contribuído para a literatura piauiense. Também já foi inaugurado o Museu da Cultura Literária Piauiense, instalado na Casa de Lucídio Freitas, sede da Academia.
Além disso, a Coleção Centenário vem, desde 2016, fazendo um resgate de obras antigas, importantes, escritas por intelectuais renomados, que tratam sobre o Piauí e sobre tudo que se relaciona com o Estado.

Grupo encena peça de Júlio Romão na Academia Piauiense de Letras

As portas da Academia Piauiense de Letras se abrem, no próximo sábado (29), às 10h, para o grupo Aspetúnias, que encenará a peça “A Mensagem do Salmo”, de Júlio Romão. O escritor piauiense ocupou a cadeira 31 da Academia e é reconhecido em todo país pela sua obra de teatro e poesia, especialmente o Teatro Experimental do Negro e o estudo e resgate de artistas e intelectuais afro-brasileiros. A encenação marca o lançamento do livro Teatro, em que Júlio Romão apresenta as peças “A Mensagem do Salmo” e “José, o Vidente”. O livro integra a Coleção Centenário, que comemora os 100 anos da instituição.

A peça “A Mensagem do Salmo” é uma saga dramática do Cristianismo, que integra a obra do chamado Ciclo Bíblico e foi base de roteiro para um filme mexicano. Ela foi publicada e encenada pela primeira vez em 1967, no Rio de Janeiro, num cenário de crise política e de golpe militar. Na obra, Júlio Romão recria os evangelhos bíblicos de Mateus, Marcos, Lucas e João que, através de parábolas contam a saga do Cristianismo e a de Jesus Cristo. A peça é escrita em verso e prosa e composta de apenas um único ato.

 

Segundo o presidente da Academia Piauiense de Letras, Nelson Nery Costa, o autor ganhou o prêmio Cláudio de Sousa da Academia Brasileira de Letras e teve ampla repercussão. Júlio Romão já integrava o Movimento da Negritude Brasileira ao lado de Solano Trindade e ajudou a fundar o Teatro Popular do Negro.

 

“Teatro de Júlio Romão da Silva é uma obra incompleta, pois faltam as peças do Teatro Experimental Negro, como Zumbo Zumbu e Os Escravos. Fica para outra vez, talvez não tarde. Porém, em Teatro estão seus textos de maior sucesso e reconhecimento, inclusive pelos prêmios obtidos. Cem anos depois de nascido, ainda em 1917, no ano em que a Academia Piauiense de Letras foi fundada, ocorre a celebração do homem magro e de olhos agitados, com um sorriso nos lábios e uma ideia na cabeça. Fez muito e em muitas áreas. Acima de tudo foi ele próprio – Júlio Romão da Silva, verbete de várias enciclopédias nacionais”, finaliza Nelson Nery Costa.

APL abre inscrições para eleger três novos imortais 

A Academia Piauiense de Letras o edital de inscrições para candidatos e fará a eleição para preenchimento de três cadeiras no dia 1º/12. As vagas surgiram após o falecimento dos imortais Paulo de Tarso Mello e Freitas, Herculano Moraes da Silva Filho e Raimundo Nonato Monteiro de Santana. Com o novo pleito, serão ocupadas as cadeiras 18, 24 e 32.

Clique e veja o Edital Cadeira 18 -22-32

Os interessados terão 30 dias, segundo o edital, para efetuarem suas inscrições. O documento estipula que os candidatos devem ser piauienses ou residirem no Estado há mais de 10 anos. Além disso, devem ter ao menos um livro publicado. As inscrições devem ser feitas na sede da Academia, localizada na avenida Miguel Rosa, 3300, centro/sul.

Falecido no dia 17 de maio deste ano, Herculano Moraes ocupava a cadeira de número 18 e estava no exercício do cargo de secretário geral da Academia. Porém, sua vida foi construída sob uma constante e ativa vontade de participação em movimentos literários e produção contínua, desbravando e fundando academias de letras em várias cidades do Piauí.

Já o professor Raimundo Santana faleceu aos 92 anos em junho deste ano. Dedicou-se aos estudos sobre a história política, cultural, econômica, social e sindical do Piauí, e incentivou a realização e a publicação de livros. Fundou o Movimento de Renovação Cultural do Piauí (1960) e o Centro de Estudos Piauienses (1957). Trabalhou com o objetivo de fundar a Fundação de Apoio Cultural do Piauí. Foi, inegavelmente, um batalhador incansável em prol do desenvolvimento de nossa cultura.

O desembargador Paulo Freitas falece no dia 23 de janeiro deste ano. Além de renomado professor das disciplinas de as disciplinas de Direito Judiciário, Civil, Penal, Penitenciário, Eleitoral e de Organização Judiciária da Universidade Federal do Piauí – UFPI, foi o primeiro juiz auditor da Justiça Militar do Piauí; jornalista; diretor da revista Piauí Judiciário; membro do Conselho Penitenciário; presidente da Associação dos Magistrados Piauienses e escritor ocupante da cadeira 34 da APL.

A eleição para a ocupação das três vagas está marcada para o dia 1º de dezembro deste ano. Os eleitos deverão atingir maioria absoluta de votos entre os imortais.

Edital para preenchimento das cadeiras nºs 18, 32 e 24

A Academia Piauiense de Letras o edital de inscrições para candidatos e fará a eleição para preenchimento de três cadeiras no dia 1º/12. As vagas surgiram após o falecimento dos imortais Paulo de Tarso Mello e Freitas, Herculano Moraes da Silva Filho e Raimundo Nonato Monteiro de Santana. Com o novo pleito, serão ocupadas as cadeiras 18, 24 e 32.

Clique e veja o Edital Cadeira 18 -22-32