Livro sobre o Albertão é lançado em Parnaíba

O livro “Albertão, um sonho realizado”, de autoria do desportista Celso Carvalho, foi lançado no final de semana no Centro Cultural Reis Velloso, em Parnaíba.

O livro foi publicado através da Coleção Século XXI, da Academia Piauiense de Letras, e focaliza uma das obras icônicas do governo Alberto Silva.

A obra conta a história do estádio Albertão, desde a sua construção, até a sua inauguração, em 26 de agosto de 1973.

Também traz um relato dos grandes jogos e outros espetáculos realizados no estádio, como duas apresentações da Seleção Brasileira.

O ato de lançamento em Parnaíba, a terra natal do ex-governador Alberto Silva, ocorreu mais de um ano depois da sessão de autógrafos em Teresina por causa da pandemia da Covid-19.

O lançamento foi articulado pela Academia Parnaibana de Letras, com a adoção das medidas de segurança sanitária.

Familiares do ex-governador, desportistas, intelectuais e outros convidados participaram do evento.

A Academia Piauiense de Letras foi representada no ato pelo acadêmico Elmar Carvalho. Também esteve presente ao lançamento o acadêmico Valdeci Cavalcante.

O engenheiro Alberto Silva, construtor do Albertão, integrou a Academia Piauiense de Letras, onde ocupou a Cadeira 1.

O lançamento do livro em Parnaíba
Capa do livro sobre o Albertão

Exposição sobre Reis Velloso vai até setembro

A exposição “Memória e desenvolvimento: 90 anos de João Paulo dos Reis Velloso”, aberta na última sexta-feira (30/07), segue até 30 de setembro no Centro Cultural do Sesc, em Parnaíba.

A homenagem foi idealizada pelo primeiro vice-presidente da Confederação Nacional do Comércio (CNC), Valdeci Cavalcante, e conta a trajetória profissional e pública do ex-ministro.

“João Paulo foi, sem dúvidas, um dos homens mais importantes do Brasil e, principalmente, do nosso Estado. É uma alegria poder contar um pouco mais da sua história e da sua contribuição para o nosso país”, afirmou Valdeci Cavalcante.

O economista Raul Velloso, irmão do homenageado, fez a palestra de abertura do evento e agradeceu a homenagem:

“Me sinto honrado em participar desse momento de celebração em que posso relembrar a figura do meu irmão, sempre estudioso e comprometido com os rumos do país.  A exposição está muito bem montada e certamente será um sucesso”, disse.

Reis Velloso nasceu em Parnaíba em 1931 e faleceu no Rio de Janeiro em 2019. Era membro da Academia Piauiense de Letras, onde ocupava a Cadeira 17, na qual foi sucedido pelo advogado, empresário e professor Valdeci Cavalcante.

(Fonte: Ascom/Sesc Piauí)

Exposição sobre Reis Velloso no Sesc Caixeiral, em Parnaíba

Reis Velloso recebe homenagem em Parnaíba

A passagem dos 90 anos do nascimento do ex-ministro Reis Velloso será celebrada com uma exposição em sua terra natal, Parnaíba.

A “Exposição Memória e Desenvolvimento: 90 anos de João Paulo dos Reis Velloso”, será aberta nesta sexta-feira (30/07), às 19h, na sede da União Caixeiral, no Centro da cidade.

A homenagem é da Confederação Nacional do Comércio e Sesc Piauí, através do vice-presidente nacional da CNC, Valdeci Cavalcante, e do presidente regional do Serviço do Comércio no Piauí, Dênis Cavalcante.

Na abertura do evento, o economista Raul Velloso, irmão do homenageado, vai proferir a palestra “O legado de João Paulo à economia brasileira”.

Seguindo orientações dos órgãos de saúde, será obrigatório o uso de máscara. Haverá transmissão ao vivo pelo Canal do Sesc Piauí no YouTube.

Perfil

João Paulo dos Reis Velloso nasceu em 12 de julho de 1931. Economista e professor. Formado pela Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade do Rio de Janeiro; pós-graduado pelo Conselho Nacional de Economia (1961); Master em Economia pela Universidade de Yale (EUA), recebendo o diploma PhD e granjeando o primeiro lugar.

Na assessoria do ministro Roberto Campos, elaborou com o economista Mário Henrique Simonsen o projeto de criação do IPEA – Instituto de Planejamento Econômico, em 1969. Foi ministro do Planejamento por dez anos.

Faleceu em 19 de fevereiro de 2019. Era membro da Academia Piauiense de Letras, onde ocupava a Cadeira 17, que tem hoje como titular o advogado, professor, empresário e escritor Valdeci Cavalcante.

APL recebe imagens inéditas de Alcides Freitas

Poeta Alcides Freitas, em foto de 1911, no Rio de Janeiro.

A Academia Piauiense de Letras recebeu esta semana um presente inusitado e precioso: um álbum digital com imagens até então desconhecidas do poeta Alcides Freitas, patrono da Cadeira 9.

As imagens foram feitas no início do século 20, no Rio de Janeiro. Várias delas são de 1911, ou seja, de dois anos antes do falecimento do poeta.

Elas foram encontradas casualmente pelo poeta Alexei Bueno, ex-diretor do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural do Rio de Janeiro.

Ele se comunicou com o cineasta Douglas Machado, seu amigo no Piauí, oferecendo o achado à Academia Piauiense de Letras.

Douglas Machado repassou a informação ao presidente da APL, Zózimo Tavares, que imediatamente entrou em contato com o poeta e recebeu as imagens, precedidas do seguinte e-mail:

Prezado Zózimo,

 Encontrei essa meia centena de cartões postais, ou fotos impressas sobre papel de cartões postais, como era comum na época, no chão, em frente da minha casa. Quase metade deles tem relação direta com o Alcides Freitas, parentes, contraparentes, amigos, etc. Os outros eram cartões do início do século, muitos de escritores, uns tantos sobre a Família Imperial Brasileira. Escaneei todos eles, e lhe mandarei agora aqueles onde há algo escrito, inclusive uma bela foto da Amélia de Freitas Beviláqua e do Clóvis Beviláqua, autografada pelos dois.

Surpresa e agradecimento

O presidente da Academia Piauiense de Letras agradeceu a contribuição do poeta Alexei Bueno à memória histórica da APL, ao repassar gentilmente as imagens à Academia.

A historiadora e acadêmica Teresinha Queiroz, estudiosa há mais de 30 anos da vida e da obra de Clodoaldo Freitas, Alcides Freitas e Lucídio Freitas, recebeu com entusiasmo a notícia que lhe foi repassada pelo presidente da APL: “Fiquei muito surpreendida e feliz com esse achado”.

Alcides Freitas na história 
“O poeta Alcides Freitas foi uma chama votiva e passageira da poesia piauiense”, como assim o definiu Assis Brasil. Vítima de tuberculose, morreu aos 23 anos, mal acabara de se formar em medicina. O poeta quase não teve tempo de ver publicado o seu primeiro livro, Alexandrinos, editado em 1912. Morreu no ano seguinte. A implacável doença mataria, algum tempo depois, o seu irmão Lucídio Freitas, que também estreou na literatura com Alexandrinos.

 Alcides Freitas nasceu em Teresina, em 4 de julho de 1890. Era filho do escritor Clodoaldo Freitas, um dos fundadores e primeiro presidente da Academia Piauiense de Letras.

 É o patrono da Cadeira 9 da APL, que teve como primeiro ocupante o poeta Lucídio Freitas (1894-1921). A cadeira foi ocupada sucessivamente por Pedro Borges da Silva (1890-1861) e Fontes Ibiapina (1921-1986).

Seu ocupante atual é o acadêmico Hugo Napoleão.

Fonte: ‘Sociedade dos Poetas Trágicos’, 2ª. ed (Teresina, 2006), de Zózimo Tavares.

Prefeitura de Teresina quer parceria com a APL

A valorização da literatura piauiense foi o tema principal da agenda do presidente da APL, Zózimo Tavares, com o secretário municipal de Educação, professor Nouga Cardoso.

A audiência foi na terça-feira passada (20/07), no gabinete do secretário, e contou também com a presença do presidente da Fundação Cultural Monsenhor Chaves, Sheyvan Lima.

Os dois secretários garantiram ao presidente da APL que o prefeito de Teresina, Dr. Pessoa, e o vice-prefeito Robert Rios lhes passaram instruções para que busquem ações de valorização da literatura piauiense na atual gestão.

O presidente da APL falou aos dois secretários sobre o movimento encabeçado pela Academia para o cumprimento das leis que determinam a implantação do ensino de literatura piauiense nas escolas públicas e privadas do Piauí.

Em 10 de junho o presidente da FCMC fez visita de cortesia à APL e manifestou a disposição da Prefeitura de Teresina de fazer parcerias com a instituição na área cultural.

Acadêmica Fides Angélica representa APL em inauguração de Biblioteca na OAB

A secretária-geral da Academia Piauiense de Letras, professora Fides Angélica, representou a APL na solenidade de inauguração da Biblioteca Advogado Hélio Martins Correia Lima, que teve a sua estrutura renovada.

A biblioteca está localizada na Nova ESA Piauí, que recentemente teve seu espaço amplamente reestruturado. O ato solene de inauguração foi realizado ontem (20/07).

O presidente da OAB-PI, Celso Barros Coelho Neto, explicou que a biblioteca é mais um investimento da Seccional para fomentar a cultura jurídica dos piauienses.

O espaço funciona das 8h às 14h com agendamento pelo telefone (86) 2107-5823 ou pelo WhatsApp (86) 9 9993-2042.

A solenidade de inauguração foi prestigiada ainda pelos membros honorários vitalícios da OAB-PI, Nelson Nery e Sigifroi Moreno, além de Fides Angélica, também ex-presidente da Ordem; por familiares do homenageado e conselheiros seccionais, presidentes e membros de Comissões Temáticas.

(Com informações e imagens da Ascom OAB/PI)

A nova biblioteca da OAB-PI

Jonathas Nunes toma posse na Academia Luso-Brasileira de Letras

O professor Jonathas Nunes, ocupante da Cadeira 2 da Academia Piauiense de Letras, é o mais novo membro da Academia Luso-Brasileira de Letras (ALBL).
Ele foi empossado no final da tarde desta terça-feira (20/07) na Cadeira 24 da ALBL, que tem sede no Rio de Janeiro.
A Cadeira 24 tem como patrono o jornalista escritor português Ramalho Ortigão.
A sessão de posse do novo imortal, conduzida pelo presidente da Academia, Adolpho Pollilo, foi realizada no formato virtual, em decorrência da pandemia da Covid-19.
O discurso de recepção foi pronunciado pelo acadêmico Gastão Rúbio de Sá Weyne.
Jonathas Nunes é o primeiro piauiense a ocupar uma cadeira na Academia Luso-Brasileira de Letras.
A solenidade foi prestigiada por acadêmicos, familiares, autoridades e outros convidados.
Em mensagem ao novo acadêmico, o governador Wellington Dias afirmou que o ingresso de Jonathas Nunes na ALBL é um orgulho para os piauienses.
Ele destacou que o novo imortal tem paixão pela cultura e pela integração Brasil-Portugal, cujas relações se estreitam através da ALBL.

Novo Currículo é homologado com Ensino de Literatura Piauiense

O currículo do Novo Ensino Médio, aprovado pelo Conselho Estadual de Educação, foi homologado ontem (13/07), durante evento híbrido na sede da Secretaria de Estado da Educação que reuniu membros do Conselho, a cúpula da Seduc e educadores.

O novo currículo está estruturado em um período de três anos, com a carga horária de 1.800 horas, destinadas à Formação Geral Básica, e 1.200 horas, referentes aos Itinerários Formativos.

A formação básica contempla as quatro Áreas do Conhecimento, expressas na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), contextualizadas com a realidade do ensino local.

Os Itinerários Formativos ampliam as aprendizagens relacionadas às competências gerais da BNCC, às Áreas de Conhecimento e/ou à Formação Técnica e Profissional

Além das aprendizagens comuns e obrigatórias, definidas pela BNCC, que completam a Formação Geral Básica, os estudantes poderão, por meio dos Itinerários Formativos, escolher se aprofundar nos conhecimentos que mais se relacionam com seus interesses e talentos, conforme condições das escolas e das redes de ensino.

Literatura Piauiense nas Escolas

O ensino de Literatura Piauiense é uma das novidades do currículo do Novo Ensino Médio.

A inclusão da disciplina foi reivindicada pela Academia Piauiense de Letras, com boa receptividade do Conselho Estadual de Educação e da Equipe Pro BNCC (Base Nacional Comum Curricular) no Piauí.

O processo para elaboração do Novo Currículo do Ensino Médio foi iniciado em 2019, coletivamente, pela Secretaria da Educação.

(Com informações da Seduc e APL)

APL digitaliza acervo do boletim “Notícias Acadêmicas”

Toda a coleção do boletim “Notícias Acadêmicas” está sendo digitalizada. Trata-se do informativo oficial da Academia Piauiense de Letras, cuja primeira edição circulou em 1986, por iniciativa do então presidente da APL, professor A. Tito Filho.

O boletim circulou regularmente de 1986 até 1992. Daí para a frente, saiu em edições esporádicas e voltou a circular novamente a partir de 2020.

No atual biênio já foram publicadas quatro edições do informativo, todas elas nos formatos impresso e digital.

Acesso público

O presidente da APL, Zózimo Tavares, afirma que a digitalização de todo o acervo do “Notícias Acadêmicas”, com mais de 100 exemplares, deve ser entendida como mais um esforço da Academia no sentido de preservar a sua memória.

Depois da digitalização, já iniciada, todo o acervo do “Notícias Acadêmicas” será colocado à disposição do público interessado, no site da APL.

A digitalização do boletim é uma das ações constantes do projeto da APL aprovado para este ano pelo SIEC (Sistema de Incentivo Estadual à Cultura – Secult), com patrocínio do Grupo Claudino, através da Socimol.

O presidente da Academia Piauiense de Letras informou que está buscando financiamento para digitalizar também toda a coleção da Revista da APL, com mais de 80 números.

 

Saneamento também é cultura, afirma diretor do IAE

O diretor-geral do Instituto de Águas e Esgotos do Piauí (IAE), advogado, escritor e acadêmico Magno Pires, afirmou que saneamento básico também é cultura.

“Os países que cresceram e se desenvolveram econômico, social e culturalmente, com estabilidade duradoura de suas atividades econômicas e financeiras, tiveram no saneamento de águas e esgotos uma de suas bases fundamentais do desenvolvimento”, observa.

Para Magno Pires, atual vice-presidente da Academia Piauiense de Letras, as sociedades sem águas e esgotos tratados são pobres e não crescem; e a população é constantemente doente e as mortes se multiplicam.

Marco Regulatório

O Instituto de Águas e Esgotos do Piauí está empenhado, no momento, para fazer cumprir o novo Marco Regulatório do Saneamento Básico, que determina a universalização de água a 99% dos municípios brasileiros e do sistema de agosto a 90% das cidades até 2033.

Para tanto, o Governo do Estado vai encaminhar à Assembleia Legislativa um projeto de lei que divide o Piauí em 11 microrregiões, com o objetivo de facilitar o alcance da meta no Piauí.

“Nenhum outro projeto no Piauí terá a extensão, dimensão e profundidade, bem como capilaridade e repercussões na sociedade como o Marco Regulatório do Saneamento Básico. Será o maior investimento a ser realizado no Estado. E suas consequências benéficas serão de longo prazo, e permanente, com proveito constante e insubstituível à sociedade”, entusiasma-se o diretor geral do IAE.