APL apoia projeto “Embarque Nessa Viagem” da Rodoviária de Teresina

A Academia Piauiense de Letras está apoiando o Projeto “Embarque nessa viagem”, de incentivo à leitura, que acontece no Terminal Rodoviário Lucídio Portela.

A proposta é que adultos e crianças aproveitem o tempo de espera do ônibus para praticar o hábito da ler.

A iniciativa é promovida pela Rodoviária, em conjunto com a Sociedade Nacional de Apoio Rodoviário e Turístico (SINART) e com a Comissão Intersetorial Estadual do programa Vida no Trânsito, coordenado pela Secretaria de Saúde do Piauí (Sesapi).

Para o acadêmico Reginaldo Miranda, é objetivo da APL incentivar a produção e divulgação da literatura piauiense.

“A Academia vê com bons olhos o projeto Embarque Nessa Viagem, desenvolvido pelo Terminal Rodoviário de Teresina, que visa fomentar o hábito da leitura entre adultos e crianças. A leitura continua a desempenhar um papel crucial no desenvolvimento intelectual e na busca por conhecimento”, destacou.

A APL doou exemplares da Coleção Centenário, Coleção Século XXI e livros particulares do acervo da presidente da APL, Fides Angélica Ommati.

Segundo Talita Barros, representante da Rodoviária de Teresina, os livros ficam disponíveis, em uma estante, próximo ao embarque.

“São diversos livros, de diversas temáticas, para interação de adultos e crianças. As pessoas podem ler no local, enquanto aguardam seu ônibus ou podem levar o livro em sua viagem”, explicou.

A OAB-Pi, por meio da coordenação das Comissões Temáticas, está apoiando e realizando uma campanha de arrecadação de livros para beneficiar os passageiros da Rodoviária.

Para doar é necessário levar o livro até a estante ou realizar a entrega na sede da administração da Rodoviária.

CLUBE DA LEITURA- Com o propósito de incentivar os colaboradores ao prazer da leitura, a Academia Piauiense de Letras, como órgão das Letras, criou o Clube da Leitura para colaboradores.

A instituição visa estimulá-los para que se tornem mais conscientes, adquiram um ponto de vista mais amplo, além de ajudá-los a melhorar em suas habilidades.

Dois livros de história do Piauí são lançados na APL

Sábado (25), às 10h, a Academia Piauiense de Letras lançou duas obras sobre história do Piauí: “Memórias dos Confins – a saga de vaqueiros, heróis e jagunços nos ermos sertões onde começou o Piauí”, do acadêmico Jesualdo Cavalcanti Barros (1940-2019), com apresentação da juíza federal Marina Rocha Cavalcante Mendes; e “Os Jesuítas no sertão do Piauí – 50 anos entre fazendas e rebanhos (1711-1760)”, de Maria Betânia Guerra Negreiros Furtado, apresentação de Viriato Campelo.

Para Fides Angélica Ommati, presidente da APL, os livros de história regional constituem uma ferramenta metodológica importante para a compreensão do Piauí.

“É compromisso da Academia Piauiense de Letras apoiar ações que evidenciem a história regional e local, favorecendo, com isso, o fortalecimento de nossa historicidade e identidade”, enfatizou a presidente.

A solenidade foi prestigiada por intelectuais, escritores, professores e autoridades.

Sobre as obras:

“Memórias dos Confins”, conta do começo do Piauí, do povoamento das terras do Gurgueia e de sua gente. O livro apresenta, segundo Jesualdo Cavalcanti Barros, uma verdade inconteste: de lá veio a colonização do Piagohy (como inicialmente se chamou essas terras), pois ali foram assentadas as primeiras sesmarias (1676), enquanto, somente em 1684 foi concedida a primeira sesmaria do Vale do Piauí /Canindé. A cultura de criação do gado, que mais tarde representou a economia da região, portanto, veio da Bahia, se assentou inicialmente nas terras de Parnaguá, onde se encontram traços de uma época de opulência e riqueza, que marcou a história do Império.

Os Jesuítas no sertão do Piauí – 50 anos entre fazendas e rebanhos (1711-1760)”, Maria Betânia Guerra Negreiros Furtado faz o recorte temporal que se inicia em 1711 – começo do século XVIII e ano da chegada dos inacianos à região sudeste do Piauí – e finda em 1760, com a expulsão dos padres da Companhia da região. É sobre este período, os 50 anos em que residiram no Piauí, mais criando gado do que exercendo a missão evangelizadora, que discorre o trabalho.

Academia Piauiense de Letras lança três obras com APAL

A Academia Piauiense de Letras e a Academia Parnaibana De Letras (APAL), lançaram, sábado (04), às 10h, três obras: “Almanaque da Parnaíba – 100 anos”, com apresentação de José Luiz de Carvalho, presidente da APAL, “O que fazer com o militar – anotações para uma nova defesa nacional”, de Manoel Domingos Neto, apresentação do acadêmico Felipe Mendes de Oliveira e “Vareios do Rio Parnaíba e outras histórias”, de Raimundo Souza Lima, com apresentação do acadêmico Elmar Carvalho.

José Luiz de Carvalho, presidente da Academia Parnaibana de Letras, agradeceu a oportunidade e celebrou o momento.

“O sentimento hoje é de união, sem dúvidas. Um célebre acontecimento com estas duas grandes entidades: APL e APAL. Essa é a edição nº 75 deste almanaque que hoje é a nossa revista parnaibana. Representa muito para nós. Então, é uma imensa honra estarmos aqui”, ressaltou o presidente da APAL.

A solenidade foi prestigiada por intelectuais, escritores, professores e autoridades.

Academia Parnaibana De Letras (APAL) – Fundada em 28 de julho de 1983 e instauração oficial no dia 19 de outubro com um quadro de trinta membros. A instituição tem entre seus objetivos o estudo e a cultura da língua portuguesa regional e o desenvolvimento literário, científico, filosófico e artístico de Parnaíba; e a formação de acervos bibliográficos e disposição para consulta pública bem como apoios necessários à Biblioteca Municipal Mirócles Veras.

Duas obras são lançadas na APL

A Academia Piauiense de Letras lançou, sábado (2), dois livros: “Prefaciando e Apresentando”, da presidente da APL e acadêmica Fides Angélica de Castro Veloso Mendes Ommati, com apresentação de José Guilherme Férrer Pompeu; e “A História de um Idealista”, de Manoel Carvalho de Oliveira, apresentação Zózimo Tavares Mendes.

Estiveram presentes familiares, professores e amigos dos autores, entre outros convidados.

Além dos acadêmicos, se fizeram presentes: o ex-secretário de Educação Átila Lira, ex-senador de Teresina Elmano Férrer, vice-presidente da OAB-PI Álvaro Mota, o vice-reitor da UFPI Viriato Campelo.

Após o lançamento dos livros houve sessão de autógrafos e coquetel.

A presidente da APL Fides Angélica presidiu a solenidade de lançamento dos livros. Fotos: Jairo Moura
Fides Angélica, autora do livro “Prefaciando e Apresentando”.
Manoel Carvalho de Oliveira, autor do livro “A História de um Idealista”.
José Guilherme Férrer Pompeu apresentou a obra “Prefaciando e Apresentando”, de Fides Angélica Ommati.
“A História de um Idealista” teve a apresentação do acadêmico Zózimo Tavares Mendes.
Ricardo Ommati, filho da autora Fides Angélica Ommati, que veio de São Paulo para prestigiar o lançamento.
Foto oficial com acadêmicos e autoridades participantes.

APL lança dois livros neste sábado

Neste sábado, a partir das 10h, a Academia Piauiense de Letras vai lançar dois livros: “Prefaciando e Apresentando”, da presidente da APL e acadêmica Fides Angélica de Castro Veloso Mendes Ommati, com apresentação de Guilherme Férrer Pompeu; e “A História de um Idealista”, de Manoel Carvalho de Oliveira, apresentação Zózimo Tavares Mendes.

Na obra “Prefaciando e Apresentando”, a autora reúne prefácios e apresentações por ela redigidos, para elucidar sobre dúvidas frequentes em relação ao prefácio e apresentação, se têm a mesma natureza, igual finalidade, ou, em contrário, são diferentes e afins.

“A História de um Idealista” conta a trajetória profissional de Manoel Carvalho de Oliveira desde o seu nascimento, em Água Branca, em 25 de março de 1941; suas incursões pelo comércio, ainda muito jovem, e, mais tarde, o exercício do magistério e da advocacia.

APL distribui livros de autores piauienses em Seminário do IBGE

Vários livros publicados pela Academia Piauiense de Letras foram distribuídos, através de sorteio, aos participantes do Seminário Brasil em Números, realizado no Piauí pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O evento foi sediado no auditório da Universidade do Vale do São Francisco (UNIVASF), em São Raimundo Nonato, durante toda a quinta-feira passada (28/09), com palestras, apresentação de artigos publicados no livro Brasil em números 2023 e discussão sobre os temas abordados.

Participaram do seminário a coordenadora nacional do Projeto Brasil em números, Isabela Torres; o superintendente do IBGE no Piauí, Leonardo Passos; técnicos e servidores do instituto; professores, estudantes e outros convidados.

O presidente da Academia Piauiense de Letras, Zózimo Tavares, também se fez presente ao evento, juntamente com os acadêmicos Fonseca Neto, presidente do Instituto Histórico e Geográfico do Piauí, e Felipe Mendes, economista e professor aposentado da Universidade Federal do Piauí.

No final da tarde de sexta-feira (29/09), o IBGE lançou a 13ª. edição Brasil em números 2023, no Museu da Natureza, no Parque Nacional da Serra da Capivara.

(Imagens: Luciano Klaus)

Academia recebe livros de escritores maranhenses

O 1º secretário da Academia Piauiense de Letras, Fonseca Neto, apresentou na sessão de sábado (05/08) os livros que a APL recebeu da Academia Maranhense de Letras.

Os livros foram entregues durante visita do presidente da APL, Zózimo Tavares, e dos acadêmicos Fonseca Neto e Felipe Mendes à Academia Maranhense de Letras, em 13 de julho passado.

Durante a visita, o presidente da AML, Lourival Serejo, assinou Termo de Cooperação com a APL para lembrar o centenário de falecimento do acadêmico Clodoaldo Freitas, em 2024.

Clodoaldo era piauiense e foi um dos fundadores da AML, em 1908, e da APL, em 1917.

O presidente da APL também levou livros de autores piauienses para a Academia Maranhense de Letras.

Na ocasião, Fonseca Neto lançou o seu livro “Pátinas do tempo”, em cerimônia das mais prestigiadas.

Academias promovem intercâmbio cultural

Livros de vários autores publicados pela Academia Maranhense de Letras foram doados à Academia Piauiense de Letras.

O presidente da AML, Lourival Serejo, fez a entrega das obras ao presidente da APL, Zózimo Tavares, e aos acadêmicos Fonseca Neto e Felipe Mendes.

Os três acadêmicos piauienses participaram de sessão da Academia Maranhense de Letras no último dia 13.

Na ocasião, o acadêmico Fonseca Neto lançou o seu livro “Pátinas do Tempo”, tese de doutorado que tem como objeto de estudo o Patrimônio Histórico e Cultural de São Luís.

A APL também fez a doação de obras de autores piauienses à AML, inclusive a segunda parte da Coleção Centenário.

A primeira parte desta coleção foi entregue à Academia Maranhense de Letras pelo então presidente Nelson Nery.

O presidente da APL disse que o encontro entre as duas Academias fortalece ainda mais os laços culturais que existem entre o Piauí e o Maranhão.

(Imagens: Luciano Klaus)

Livros de literatura infantil, poesia negra e ensino são lançados na APL

Um livro de literatura infantil, outro de poesia negra e mais um de ensino de língua foram lançados ontem (1º/04) na Academia Piauiense de Letras.

O professor José Maria de Carvalho lançou o livro Formação do Professor de Língua Estrangeira. É o seu segundo livro voltado para esta temática.

O professor Elio Ferreira, doutor em Literatura e docente na Universidade Estadual do Piauí, lançou duas obras: A Rolinha e a Raposa – fábula do Piauí de tradições africanas e indígenas e também Poesias Negra – Solano Trindade e Langston Hughes.

A primeira foi apresentada pela professora e acadêmica Socorro Rios Magalhães e a segunda pelo próprio autor.

A sessão foi presidida pelo acadêmico Magno Pires, vice-presidente da APL, e o cerimonial foi conduzido pela acadêmica Fides Angélica, secretária geral, com a presença de acadêmicos, professores, estudantes e outros convidados.

Acadêmico Magno Pires preside a sessão da APL.
Acadêmica Socorro Rios Magalhães apresenta livro.
Professor José Maria de Carvalho, ao lado da acadêmica Fides Angélica.
Professor Elio Ferreira apresenta suas obras.

Coleção Bicentenário reúne 8 livros

Mais três livros da Coleção Bicentenário foram lançados ontem (18/03) na Academia Piauiense de Letras.

As obras fazem parte do programa de celebrações dos 200 anos da Independência.

Os três livros lançados na APL: História da Independência no Piauí, de Wilson de Andrade Brandão; Grande Enciclopédia Internacional de Piauiês, de Paulo José Cunha, e O Outro lado da Independência do Brasil: aspirações e manifestações, natureza e formas de lutas – 1789 / 1850, de Claudete Dias.

A Coleção Bicentenário foi instituída pela APL em parceria com o Conselho Estadual de Cultura, o Instituto Histórico e Geográfico do Piauí e a Secretaria Estadual de Cultura.

Ao abrir a cerimônia de lançamento dos livros o presidente da APL, Zózimo Tavares, lembrou que a Independência não se fez em 7 de setembro de 1822, mas atravessou o ano de 1823.

“E só a partir da Batalha do Jenipapo o Brasil se fez de fato independente de Portugal. Mas o país praticamente só está sabendo disso agora, 200 anos depois”, acentuou.               

Os livros do bicentenário

O programa de lançamentos da Coleção Bicentenário da Independência foi aberto em setembro do ano passado, no Palácio de Karnak, com os livros Memória Cronológica, Histórica e Corográfica da Província do Piauí, de Pereira de Alencastre (Vol. 1); A Guerra do Fidié, de Abdias Neves (Vol. 2); e Contribuição do Piauí na Guerra do Paraguai (organizado pelo acadêmico Felipe Mendes, com textos de Anísio Brito, Monsenhor Chaves, Nelson Nery, Odilon Nunes e Reginaldo Miranda).

Em dezembro de 2022, foram lançados na APL mais volumes: Piauí Colonial: População, Economia e Sociedade, do antropólogo Luiz Mott, e Os Índios do Piauí, com textos de João Renôr Carvalho, Monsenhor Chaves, Moyses Castelo Branco Filho, Nelson Nery e Reginaldo Miranda.

O presidente do Conselho Estadual de Cultura, Nelson Nery, coordenador do projeto, disse que o plano inicial era para publicar 12 livros.

O acadêmico Wilson Brandão fez a apresentação do livro “História da Independência do Piauí”, lançado pela primeira vez há 50 anos.

O cartunista Jota A apresentou o livro Grande Enciclopédia Internacional de Piauiês e a professora Claudete Dias fez a apresentação de seu livro.

Presenças

Participaram da sessão o secretário estadual de Cultura, Carlos Anchieta, e o presidente do Instituto Histórico e Geográfico do Piauí, acadêmico Fonseca Neto.

Também estiveram presentes os acadêmicos: Anfrísio Lobão, Carlos Evandro, Climério Ferreira, Dilson Lages, Elmar Carvalho, Felipe Mendes, Fides Angélica, Francisco Miguel de Moura, Jonathas Nunes,  Magno Pires, Moisés Reis, Nelson Nery, Oton Lustosa, Plínio da Silva Macêdo, Socorro Rios Magalhães, Tony Batista e Wilson Brandão.

Do Conselho Estadual de Cultura, além do presidente Nelson Nery, se fizeram presentes os conselheiros Cineas Santos, Gilson Caland, Dora Medeiros, José Itamar Silva, João Vasconcelos e Jony Clay Macedo.

O presidente da Comissão Memória e Justiça da OAB-PI, Adão Direito Vieira de Araújo, representou a instituição no evento, ao qual compareceram ainda a presidente da União Brasileira de Escritores (UBE-PI), Lisete Napoleão, e a professora Raimunda Celestina, coordenadora do Curso de Letras da Universidade Estadual do Piauí, entre outros convidados.

A sessão foi transmitida pelo Canal da APL no YouTube. Acompanhe através do link: https://www.youtube.com/watch?v=3EsR8zGhM2k

Wilson Brandão apresenta o livro História da Independência no Piauí.
Jota A apresenta Enciclopédia Internacional de Piauiês.
Professora Claudete Miranda apresenta seu livro “O outro lado da Independência do Brasil”.
Acadêmico Fonseca Neto, presidente do IHG-PI.
Nelson Nery apresenta a Coleção Bicentenário da Independência.
Secretário de Cultura, Carlos Anchieta.

Deputado Fábio Novo elogia parceria da Secult com a APL, CEC e IHG-PI.
Acadêmicos com autores e/ou apresentadores dos livros lançados.

Mais dois livros são lançados na APL

Mais dois livros foram lançados ontem (04/02) na Academia Piauiense de Letras: A Esperança, de autoria do padre José Anchieta Arrais de Carvalho, e Por entre córregos e faxinas – a recriação do universo sertanejo em “Curral de Serras”, de autoria da professora Elenice Nery.

O primeiro foi apresentado pelo acadêmico José Itamar Abreu Costa e o segundo, pela acadêmica Maria do Socorro Rios Magalhães, em sessão conduzida pelo presidente da APL, Zózimo Tavares.

A Esperança é um livro de meditação e nasceu no contexto da pandemia da Covid-19, que explodiu no mundo como uma profunda ameaça à vida.

Em meio a momentos desafiadores, o autor se deteve na meditação para levar uma palavra de esperança e alento a tantas pessoas que passavam por dificuldades diante do avanço da pandemia.

Por entre córregos e faxinas, publicado pela APL, é um estudo sobre o romance Curral de Serras, da piauiense Alvina Gameiro, que integrou a Academia Piauiense de Letras.

Padre Anchieta fala sobre o seu livro.

Acadêmico Itamar Costa apresenta livro “A Esperança”.
Acadêmicos acompanham lançamentos.
Acadêmica Socorro Rios Magalhães apresenta livro.
Professora Elenice Nery: estudo sobre romance de Alvira Gameiro.