Núcleo Feminino da APL faz reunião inaugural

O Núcleo Feminino da Academia Piauiense de Letras fez a reunião inaugural deste ano, sábado (17/02), às 9h. O Núcleo tem a coordenação de honra da decana Nerina Castelo Branco e a coordenação executiva da acadêmica Socorro Rios Magalhães.

Na oportunidade, foi discutido sobre a celebração do Dia Internacional da Mulher na APL e as mulheres homenageadas para o 8 de março.

O Núcleo Feminino é constituído das esposas e viúvas dos acadêmicos e tem como finalidade o apoio às atividades da Instituição.

Núcleo Feminino prestigiando a posse da presidente Fides Angélica.
Núcleo participando ativamente das viagens de interiorização da Academia Piauiense de Letras – APL.

APL recebe visita de estudantes de Letras da UESPI

A Academia Piauiense de Letras recebeu, nesta sexta feira (16/02), a visita de estudantes do curso de Licenciatura em Letras/Português, bloco VII, campus Clóvis Moura, da Universidade Estadual do Piauí -UESPI, orientados pela professora Wilma Avelino de Carvalho.

A visita foi guiada pela presidente da Academia, Fides Angélica Ommati e pela primeira secretária e acadêmica Socorro Rios Magalhães, que proferiu palestra sobre Literatura Piauiense.

Na ocasião, a APL doou livros da Coleção Centenário para os estudantes.

VISITAS GUIADAS– Para quem interesse em visitar a Academia Piauiense de Letras, o agendamento prévio é obrigatório. As instituições que queiram participar, devem fazer a solicitação na sede da APL, situada na Av. Miguel Rosa, 3300 – Centro/Sul, ou através de ofício encaminhado para [email protected].

A acadêmica Socorro Rios Magalhães proferiu palestra sobre Literatura Piauiense.
Estudantes na escadaria da sede da APL

Governador destaca protagonismo feminino na APL

A posse da Diretoria da Academia Piauiense de Letras para o biênio 2024-2026 foi um dos grandes momentos da instituição.

O evento foi prestigiado por altas autoridades do Piauí, como o governador Rafael Fonteles, que enalteceu o protagonismo feminino também nas letras com a posse da professora e advogada Fides Angélica na presidência da APL.

O presidente da OAB-PI, Celso Barros Coelho Neto, destacou que Fides Angélica foi a primeira mulher eleita presidente de uma das 27 Seccionais da OAB no Brasil em 92 anos de OAB.
Também foi a primeira mulher reeleita e até agora a única eleita por três mandatos como Presidente da OAB.
Ocupou 11 mandatos eletivos no sistema OAB. Além de presidente da OAB, foi Secretária Geral, Conselheira Federal por 6 mandatos e Diretora Geral da Escola Nacional da Advocacia, criando a Escola no Piauí em 1997, sendo um marco no ensino jurídico do Estado.

O acadêmico Zózimo Tavares afirmou que se despedia da presidência da APL com a certeza de que deixava a Academia em boas mãos.

Ele informou que Fides Angélica tem 30 anos na Casa de Lucídio Freitas, já foi vice-presidente da APL e, na última gestão, exerceu o cargo de secretária geral.

“A Secretaria Geral é uma espécie de Prefeitura da Academia, mas a professora Fides foi a nossa primeira-ministra”, brincou, ao destacar a colaboração dela para a gestão que se findava.

Além de Fides Angélica, outra mulher integra a nova Diretoria da APL, a professora Socorro Rios Magalhães, 1ª secretária.

Também se fizeram presentes à cerimônia de posse os reitores da Universidade Federal do Piauí, Gildásio Guedes, e da Universidade Estadual do Piauí, Evandro Alberto.

O professor e jurista César Barros Leal, da Academia Cearense de Letras e amigo da nova presidente, prestigiou o evento.

A cerimônia foi realizada no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção do Piauí.

Antes da posse dos novos dirigentes da APL foi exibido um videodocumentário sobre as atividades da academia.

(Imagens: Jairo Moura)

Fides Angélica assume presidência da APL

A Academia Piauiense de Letras viveu ontem (24/01) uma noite de festa – a posse de sua nova diretoria – e também histórica – com uma mulher assumindo pela primeira vez a presidência da instituição.

A Sessão Solene de Posse da nova diretoria foi realizada no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção do Piauí (OAB-PI), sendo dividida em dois momentos.

No primeiro, o presidente que se despedia, Zózimo Tavares, apresentou um balanço das realizações da gestão que concluía seu mandato.

A Academia outorgou o Diploma do Mérito Cultural Lucídio Freitas – sua mais importante comenda – ao secretário de Governo, Marcelo Noleto, e ao presidente do Conselho Estadual de Educação, Carlos Alberto Pereira.

Na segunda parte do evento, Zózimo Tavares deu posse à nova presidente, Fides Angélica Ommati, que empossou os demais dirigentes e apresentou seu plano de trabalho para o próximo biênio.

Presenças

A cerimônia contou com a presença do governador Rafael Fonteles, que destacou a importância de uma mulher no comando da APL e reafirmou o apoio de seu governo à cultura e à Academia, ampliando as parcerias já existentes.

O professor e jurista César Barros Leal, membro da Academia Cearense de Letras, também se fez presente à sessão.

Os reitores da Universidade Federal do Piauí, Gildásio Guedes, e da Universidade Estadual do Piauí, Evandro Alberto, e o presidente da OAB-PI, Celso Barros Neto, também prestigiaram a posse da nova diretoria da APL.

O presidente do Conselho Estadual de Cultura, Nelson Nery; o secretário estadual de Cultura, Carlos Anchieta; e o secretário municipal de Educação , Nouga Cardoso, também compuseram o dispositivo de honra.

A conselheira Lílian Martins representou o Tribunal de Contas do Estado (TCE) na cerimônia.

Ao final, advogado Francisco Almeida fez uma homenagem à nova presidente em forma de cordel.

A nova Diretoria da APL tem mandato de dois anos e é composta por Fides Angélica Ommati (presidente); Fonseca Neto (vice-presidente); Magno Pires (secretário geral); Socorro Rios Magalhães (1ª secretária); Zózimo Tavares (2º secretário) e Reginaldo Miranda (tesoureiro).

Imagens: Jairo Moura

APL mais interativa, digital e interiorizada

Camila Juliana/APL-UFPI

Termina nesta quarta-feira (24/01) o período de quatro anos do jornalista Zózimo Tavares na presidência da Academia Piauiense de Letras (APL). Ele passa o bastão para a advogada e professora Fides Angélica Ommati.

O balanço aponta para uma gestão que fez a APL mais presente na sociedade, mais digital, interativa e abraçando causas de interesse da cultura e da identidade do estado, como o fortalecimento da literatura piauiense.

Zózimo cumpriu dois biênios, iniciados em janeiro de 2020, quando o mundo começava o desafio de lidar com a pandemia da Covid-19.

APL on-line

Foi também um desafio para a APL, que fez do limão uma limonada: a Academia Piauiense foi a primeira do país a usar a internet para fazer suas reuniões e eventos online.

Treinamentos asseguraram o acesso dos acadêmicos às novas tecnologias e à ampla participação nos encontros regulares. “A sessão no formato remoto possibilitou a participação de imortais que moram fora de Teresina e, que, por isso, têm dificuldade de comparecer às reuniões presenciais”, destaca Zózimo.

A transmissão e gravação das sessões e eventos aconteciam por meio do canal da Academia no YouTube – a TV APL, criado na mesma época. O isolamento imposto pela pandemia fez surgir o programa “Chá das 5”, em parceria com a TV Nestante.

A APL integrou o projeto “Te Aquieta e Lê”, criado pela Secretaria Estadual de Cultura, para doar livros, ajudando as pessoas a lidar com o isolamento social.

Pesquisa e leitura
O “Te Aquieta e Lê” levou à doação de muitos livros de autores locais, um gesto que está ligado a outra marca da gestão Zózimo: a luta pelo fortalecimento da literatura do Piauí. Isso inclui a pesquisa sobre os hábitos de leitura dos piauiense, resultando no filme “O sonho que saiu do papel”.

Não parou aí: a APL se empenhou pela implantação do ensino de literatura piauiense nas escolas do Estado; e pela inclusão do tema nos concursos públicos – providência já adotada pelo IFPI e pela Assembleia Legislativa do Piauí.

Bicentenário
Em 2023, a APL lançou a “Coleção Bicentenário”, com obras que fazem parte do programa de celebrações dos 200 anos da Independência.

A ação teve parceria com o Conselho Estadual de Cultura, o Instituto Histórico e Geográfico do Piauí e a Secretaria Estadual de Cultura.

Para Zózimo, a coletânea ressalta que a independência não foi só um dia, o 7 de setembro de 1822, mas uma série de lutas, nas quais o Piauí tem destaque.

“Só a partir da Batalha do Jenipapo o Brasil se fez de fato independente de Portugal. Mas o país praticamente só está sabendo disso agora, 200 anos depois”, acentua.

Itinerância
Nos seus quatro anos à frente da APL, Zózimo implementou o projeto “APL itinerante”, fazendo a academia ganhar a estrada e se aproximar da sociedade.

A primeira viagem foi para a instalação oficial em São Raimundo Nonato. Em seguida a APL promoveu encontros em Oeiras, Floriano e Pedro II, o que favoreceu a interiorização da academia.

Também aconteceram sessões em espaços históricos e culturais de Teresina, como os campi da UFPI e Uespi, bem como a Fundação Wall Ferraz. “É uma forma de interagir e de lembrar que a Academia é de fato ‘Piauiense’”, destaca Zózimo.

UESPI recebe a APL na primeira sessão de 2024

 

A Academia Piauiense de Letras abriu o projeto “APL Itinerante 2024” neste sábado (13/01) com sessão especial realizada no auditório do Palácio Pirajá – Campus Central da Universidade Estadual do Piauí – UESPI.

O projeto tem o objetivo de promover uma maior integração cultural da Academia com as instituições e a sociedade e levou a APL, no ano passado, aos municípios de São Raimundo Nonato – berço do homem americano – e Oeiras – a Primeira Capital.

             A APL esteve incorporada, também, nos municípios de Floriano e Pedro II. E em Teresina instalou-se oficialmente em espaços de grande significado para a cultura e a história do Piauí – especialmente para a Academia – como a OAB-PI e a Universidade Federal do Piauí.

             A Academia se reuniu também na sede da Fundação Wall Ferraz, um prédio do Centro Histórico inaugurado em 1903. Esse prédio sediou a Intendência e o Conselho Municipal, ou seja, a Prefeitura e a Câmara Municipal de Teresina. Foi em seu Salão Nobre que se fundou a APL, a 30 de dezembro de 1917.

             Na sessão realizada no Campus Central da Universidade Estadual do Piauí, sob a presidência do acadêmico Zózimo Tavares, as professoras Socorro Rios Magalhães e Raimunda Celestina falaram, respectivamente, sobre a Literatura Piauiense e a contribuição da UESPI para o estudo e a disseminação dos valores literários do Estado.

Presenças

           Participaram do evento os acadêmicos Anfrísio Lobão (ex-reitor da UFPI), Carlos Evandro, Dilson Lages (2º secretário da APL), Felipe Mendes, Fides Angélica (secretária geral e presidente eleita da APL), Francisco Miguel de Moura, Jesus Tajra, Jonathas Nunes (ex-reitor da UESPI), José Elmar Carvalho, José Itamar Costa, Luiz Ayrton Santos Júnior (professor da UESPI), Magno Pires (vice-presidente da APL), Socorro Rios Magalhães (professora da UESPI), Moisés Reis, Plínio da Silva Macêdo e Teresinha Queiroz.

O reitor Evandro Alberto foi representado pelo professor Franklin Oliveira Silva, coordenador do Mestrado em Letras da UESPI. O vice-reitor da Universidade Federal do Piauí, Viriato Campelo, participou da sessão, juntamente com o professor Fenelon Rocha, coordenador do Curso de Comunicação da UFPI.

Professores, servidores, alunos e ex-alunos da UESPI também se fizeram presentes ao evento, além de outros convidados.

Presidente da APL destaca ações de 2023

O presidente da Academia Piauiense de Letras (APL), Zózimo Tavares, destacou a implantação do ensino de Literatura Piauiense e o projeto “APL Itinerante” como duas grandes ações no ano que se finda.

Ele disse que o ano se encerra com a aula pública da Secretaria de Educação representando a adesão do Governo do Estado à adoção do ensino de Literatura Piauiense.

A aula foi ministrada no último dia 18 pela professora e acadêmica Socorro Rios Magalhães, com a presença do secretário estadual de Educação, Washington Bandeira.

Segundo o presidente da APL, a aula abriu o projeto de formação de professores para a implantação da disciplina Literatura Piauiense nas escolas da rede estadual de ensino.

Zózimo Tavares lembrou que o Instituto Federal do Piauí (IFPI) largou na frente, cobrando conhecimentos de Literatura, História e Geografia do Piauí no seu vestibular deste ano.

“APL Itinerante”

Através do projeto “APL Itinerante”, a Academia se fez presente em quatro municípios do Piauí, em 2023: São Raimundo Nonato (berço do homem americano); Oeiras (Primeira Capital); Floriano (Princesa do Sul) e Pedro II (Capital da Opala).

A sessão solene de instalação da Academia em Oeiras contou com a presença do governador Rafael Fonteles, de parte de sua equipe e de autoridades locais.

O projeto levou a APL também, durante o ano, à sede da OAB-PI (duas vezes), ao prédio onde foi fundada e instalada, em 1917), e à Universidade Federal do Piauí.

Além disso, a APL foi representada por seu presidente em eventos realizados em Água Branca, São Raimundo Nonato, Pedro II, Campo Maior, São Luís do Maranhão e Campo Grande, em Mato Grosso do Sul.

O presidente da APL destacou, ainda, a audiência pública realizada pela Assembleia Legislativa para debater a implantação do ensino de Literatura Piauiense, realizada em agosto, por iniciativa do deputado Franzé Silva (PT).

Acadêmica Socorro Rios Magalhães

Secretário de Educação, Washington Bandeira.

Reitor do IFPI anuncia Literatura, História e Geografia do Piauí no vestibular.

APL pela primeira vez em São Raimundo Nonato, em janeiro de 2023.

APL em sessão conjunta com o Instituto Histórico de Oeiras.

APL em Floriano, em sessão conjunta com a ABELARTES.

Instalação da APL em Pedro II, em sessão conjunta com a APLA.

APL reunida no Salão Nobre da Reitoria da UFPI.

APL volta ao local de sua fundação, 100 anos depois.

Audiência pública sobre Literatura Piauiense.

UESPI recebe a APL em 13 de janeiro

A Academia Piauiense de Letras fará a próxima reunião fora de sua sede no auditório Pirajá, da Universidade Estadual do Piauí.

A visita da APL à UESPI será no próximo dia 13 de janeiro, às 10 horas, anunciou o presidente da Academia, Zózimo Tavares.

Ele informou que a instituição estará cumprindo mais uma etapa do Projeto “APL Itinerante”, que visa promover uma maior integração entre a Academia e os polos de cultura e educação do Piauí.

O programa da visita da APL à UESPI será definido na primeira semana de janeiro de 2024.

A professora Raimunda Celestina, do Departamento de Letras da UESPI, esteve reunida com a diretoria da APL para combinar os primeiros detalhes da visita.

Professora Raimunda Celestina reunida com a diretoria da APL.

Pedro II abre programa de visitas da APL ao Norte do Piauí

A instalação da Academia Piauiense de Letras (APL) no município de Pedro II – a 210 quilômetros de Teresina – marcou a primeira visita oficial da instituição ao Norte do Piauí.

Através do projeto “APL Itinerante”, a Academia já se instalou este ano nos municípios de São Raimundo Nonato, berço do homem americano; Oeiras, Primeira Capital, e Floriano, Princesa do Sul do Piauí.

O projeto tem o objetivo de promover o intercâmbio da APL com os polos de cultura do interior do Piauí.

A Sessão Solene de instalação da APL na cidade de Pedro II foi realizada conjuntamente com a Academia Pedro-Segundense de Letras e Artes (APLA), na noite de sexta-feira (10/11), no auditório do Memorial Tertuliano Brandão Filho, sob a presidência do acadêmico Zózimo Tavares.

O evento foi aberto com a exibição do filme “Sonho que saiu do papel”, sobre a história da Academia Piauiense de Letras. O documentário, produzido pelo documentarista Luciano Klaus, foi lançado em 2021.

A professora e acadêmica Socorro Rios Magalhães proferiu palestra em torno do tema “Literatura Piauiense: Formação do Sistema Literário Estadual”.

Recepção

O discurso de recepção da Academia foi pronunciado pelo acadêmico e deputado Wilson Brandão, que fez um breve relato sobre a história do município.

Ele destacou também a contribuição de Pedro II para a Literatura Piauiense, mencionando, entre outros, o professor Wilson de Andrade Brandão, seu pai e ex-presidente da APL.

A prefeita Elisabete Brandão também se pronunciou dando as boas-vindas à comitiva da Academia.

O presidente da APLA, Pedro Barros, falou sobre o trabalho cultural da instituição e a alegria de receber a Academia Piauiense de Letras.

O presidente da Academia de Letras da Magistratura Piauiense, Luiz Gonzaga Brandão de Carvalho, também membro da APLA, destacou a importância da presença da APL em Pedro II.

À Mesa de Honra estiveram presentes ainda o presidente da Câmara Municipal de Pedro II, Carlos José de Oliveira Santos, e o vice-reitor da Universidade Federal do Piauí, Viriato Campelo, que representou o reitor Gildásio Guedes.

Presenças

Além do presidente Zózimo Tavares, estiveram presentes ao evento os acadêmicos Carlos Evandro, Elmar Carvalho, Felipe Mendes, Fides Angélica (secretária geral), Fonseca Neto (1º secretário), Itamar Costa, Jonathas Nunes, Luiz Ayrton Santos Júnior, Nelson Nery Costa (ex-presidente e atual presidente do Conselho Estadual de Cultura), Oton Lustosa, Plínio da Silva Macêdo, Reginaldo Miranda (ex-presidente), Socorro Rios Magalhães e Wilson Brandão.

O Núcleo Feminino da APL se fez presente através das acadêmicas Fides Angélica e Socorro Rios Magalhães e de Elisabete Brandão, Dirce Fonseca, Edilane Arêa Leão Costa, Fátima Carvalho, Lavínia Brandão, Máira Nunes, Regina Tavares e Rita Martins Eulálio.

Convidados

A professora Márcia Evelin, escritora de literatura infantil; o professor Tadeu Queiroz; o teatrólogo Ací Campelo e a professora Raimunda Celestina, da Universidade Estadual do Piauí, integraram a comitiva da APL como convidados especiais.

A sessão solene da APL/APLA foi transmitida ao vivo pelo canal da Academia Piauiense de Letras no YouTube. Veja aqui:

Transmissão da Sessão Solene da APL/APLA em Pedro II.

Imagens: Jairo Moura/APL

Pedro II recebe a APL nesta sexta-feira

“Literatura Piauiense: formação do sistema literário estadual” é o tema da palestra que a professora e acadêmica Socorro Rios Magalhães profere, hoje (10/11), na Sessão Solene de instalação da Academia Piauiense de Letras em Pedro II.

A sessão será realizada conjuntamente com a Academia Pedro-Segundense de Letras e Artes (APLA), no Memorial Tertuliano Brandão Filho, a partir das 19h.

O presidente da Academia Piauiense de Letras, Zózimo Tavares, informou que, com a visita a Pedro II, será cumprida mais uma etapa do projeto “APL Itinerante”, que leva a Academia aos municípios.

Após a Sessão Solene no Memorial Tertuliano Brandão Filho haverá sarau lítero-cultural na residência do acadêmico Wilson Brandão, com a participação de artistas locais.

Os acadêmicos e convidados farão um tour pelos pontos turísticos de Pedro II na manhã deste sábado, encerrando a visita ao município.

A palestrante

A acadêmica Socorro Rios Magalhães, palestrante de hoje em Pedro II, ocupa a Cadeira 6 da Academia Piauiense de Letras.

Ela graduou-se em Letras pela Universidade Federal do Piauí, em 1977. Cursou mestrado em Letras, área de concentração em Teoria da Literatura, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul e Doutorado também em Letras pela mesma instituição em 1997.

Sua tese de doutorado tem o título de Horizonte de leitura e crítica literária: a recepção da literatura piauiense no período de 1900 a 1930.

No magistério

Na Universidade Federal do Piauí, foi professora do Curso de Letras e docente do Mestrado em Educação e ainda colaboradora do Mestrado em Letras.

Exerceu várias funções e ocupou diversos cargos na área de educação e cultura, tais como professora de Língua Portuguesa no Ensino Fundamental e Ensino Médio, em instituições como: Colégio São Francisco de Sales – Diocesano; Liceu Piauiense e Instituto de Educação, e de chefe do Departamento de Letras da Universidade Federal do Piauí, Coordenadora Operacional do Curso de Mestrado Interinstitucional em Letras da Universidade Federal do Piauí em convênio com a PUC do Rio Grande do Sul, secretária adjunta de Educação do Município de Teresina e membro do Conselho Municipal de Cultura de Teresina.

Obras

Publicou vários livros na área de estudos literários, como Literatura Piauiensehorizontes de leitura e crítica literáriaVem comigo, leitor: a pedagogia de leitura em Quincas FAFI BorbaUm manicacaromance- manifesto do positivismo no Piauí; O curso de Letras da UFPIum fio da FAFI.

Tem também artigos publicados em várias revistas científicas do Piauí e de outros Estados: Clodoaldo Freitas: um romance inacabado?Lima Barreto e os piauienses do seu tempoO papel do intelectual e a condição feminina em Um manicacade Abdias NevesLiteratura piauiense: a formação de leitores e a emergência da crítica. BrasilA lenda do Cabeça de Cuia: estrutura narrativa e formação dos sentidos, entre outros.

É professora da Universidade Estadual do Piauí, onde atuou no Programa de Mestrado em Letras e no Núcleo de Educação à Distância como coordenadora de Produção de Materiais Didáticos.