Salão do Livro do Piauí chega aos 20 anos

A 20ª Edição do Salão do Livro do Piauí (Salipi)  foi lançada nesta quarta-feira (18/05) no Salão Nobre da Reitoria da Universidade Federal do Piauí.

O evento abriga também a 25ª Edição do Seminário Língua.

A cerimônia foi presidida pelo vice-reitor Viriato Campelo, representando o reitor Gildásio Guedes.

O presidente da Academia Piauiense de Letras, Zózimo Tavares, representou a instituição no lançamento.

 

O Salipi 22

O presidente da Fundação Quixote, professor Kássio Gomes, fez a apresentação do Salipi 22 e anunciou que evento terá caráter internacional, com a presença do escritor moçambicano Mia Couto e do jornalista e escritor angolano José Eduardo Agualusa.

Durante o Salipi, haverá feira de livros, shows culturais, exposições, café literário e a abertura de um novo espaço chamado Cordel.

A 20ª edição do Salipi vai lembrar os centenários de nascimento de José Saramago e de saudade de Lima Barreto, além dos 100 anos da Semana de Arte Moderna.

A nova edição do Salipi será realizada de 3 e 12 de junho, no Espaço Rosa dos Ventos, na UFPI, e homenageará um de seus fundadores, o professor, peta e cronista Cineas Santos.

APL e Seplan lançam mais 5 livros no sábado, 21

A Academia Piauiense de Letras e a Secretaria Estadual de Planejamento/Fundação Cepro lançam, no próximo sábado (21/05), mais cinco volumes da Coleção Pensamento Piauiense.

As obras se intitulam: Políticas Públicas para o Desenvolvimento do Piauí: 1975-1986, do professor e acadêmico Felipe Mendes; Propriedade Territorial do Piauí e Outros escritos, de Simplício de Sousa Mendes; Integração Nacional da Economia Brasileira e Transamazônica: Desenvolvimento Urbano e Rural e Espaço e Planejamento Regional, de R. N. Monteiro de Santana; além de Aspectos do Piauí: Formação Territorial, Composição Ética, Valores Econômicos, Organização Política, de Abdias Neves.

A publicação destes livros resulta de convênio da Secretaria de Planejamento com a Academia Piauiense de Letras.

As obras foram editadas nos últimos dois anos, durante o período da Pandemia da Covid-19 e integram o programa de retomada dos lançamentos de livros da APL.

Acadêmico lança novo livro no sábado

 

O escritor e acadêmico Oton Lustosa lança, no próximo sábado (14/05), o seu mais novo livro, “Em busca de uma rede na varada”.

O lançamento está marcado para as 10 horas, no auditório da Academia Piauiense de Letras.

A apresentação da obra será feita pela professora e acadêmica Socorro Rios Magalhães.

Contos

Em seu novo livro, Oton Lustosa, romancista e contista consagrado, retorna à narrativa curta.

A obra reúne 12 contos sobre temática variada. Em alguns deles, opera-se a metaliteratura.

Outros são construídos com singularidades inusitadas, sempre inspirados na vida e suas circunstâncias.

O autor

Oton Lustosa nasceu em Parnaguá, no Extremo-Sul do Piauí. Bacharelou-se em Direito pela Universidade Federal do Piauí.

É magistrado e membro da Academia Piauiense de Letras.

Estreou na literatura com o romance “Meia-Vida”, publicado em 1999 e com segunda edição lançada em 2016.

Publicou seu primeiro livro de contos, “O pescador de personagens”, em 2000.

“Vozes da Ribanceira”, seu segundo romance, foi lançado em 2003.

Capa do livro livro de Oton Lustosa

APL retoma lançamentos com livro sobre Mário Faustino

A Academia Piauiense de Letras retoma no próximo sábado, dia 7, o seu programa de lançamento de livros, interrompido em março de 2020, em função da Pandemia da Covid-19.

O primeiro livro a ser lançado é de autoria do professor e acadêmico Carlos Evandro e tem como título “Mário Faustino Revisitado – Textos Críticos e Antologia Comentada”.

A apresentação será feita pela acadêmica Fides Angélica, secretária geral da APL e ocupante da Cadeira 40, que tem como patrono o poeta Mário Faustino.

O lançamento está marcado para as 10 horas, no auditório Acadêmico Wilson Brandão.

A obra integra a Coleção Centenário, da Academia Piauiense de Letras, com o número 115.

Ela seria lançada em março de 2020, quando todas as atividades presenciais da Academia foram suspensas, em obediência às instruções das autoridades sanitárias.

Professor e acadêmico Carlos Evandro.

Valdeci Cavalcante lança livro sobre Marquês de Paranaguá

O empresário, advogado e acadêmico Valdeci Cavalcante, 1º vice-presidente da Confederação Nacional do Comércio (CNC), lançou ontem (05/04) o seu 9º livro, intitulado “Marquês de Paranaguá”.

Ao apresentar a obra, uma publicação de luxo, ele lembrou a importância política do marquês para o desenvolvimento da então província do Piauí e destacou seu poder de influência e resolutividade de questões que beneficiaram os piauienses.

O lançamento ocorreu no Sesc Cultural Cajuína e foi prestigiado por autoridades e personalidades de todas as áreas, entre as quais vários membros da Academia Piauiense de Letras.

Comenda

Durante a solenidade, Valdeci Cavalcante lançou a maior comenda do Comércio do Piauí – a Medalha Ordem do Mérito Comercial Marquês de Paranaguá.

A Ordem do Mérito Comercial Marquês de Paranaguá foi instituída pela Federação do Comércio de Bens Serviços e Turismo do Piauí em outubro de 2021.

Tem por finalidade homenagear personalidades físicas, jurídicas e organizações nacionais e internacionais, que se destacam no segmento empresarial, cultural, científico, político, religioso, social e na defesa da livre empresa no Piauí, contribuindo para com as entidades do Sistema Comércio Sesc Senac no Piauí.

O presidente da Fecomércio Sesc Senac no Piauí, em exercício, Dênis Cavalcante, foi agraciado com a comenda.

Diretor fala sobre o filme que conta história da APL

Luciano Klaus, diretor do filme sobre a APL.no “Chá das 5”

 

“A Academia Piauiense de Letras tem uma história muito rica e muito longa. Ficaria impossível mostrar toda essa história em um documentário, pela qualidade dos que a compõem”.

A opinião é do documentarista Luciano Klaus, diretor do filme “APL: um sonho que saiu do papel”, sobre a centenária história da Academia Piauiense de Letras.

O filme será lançado na próxima segunda-feira (24/01), às 11 horas, na sessão solene de posse da nova Diretoria da APL.

Para Luciano Klaus, mesmo sem a pandemia da Covid-19, período de gravação do filme, seria impossível colocar dentro de um documentário a extensão do que é a importância de cada um dos acadêmicos.

“Temos a obrigação de dar continuidade a esse trabalho, agora focalizando a vida de cada acadêmico ou temas específicos. Foi dado o pontapé inicial neste grande e ambicioso projeto de memória através do audiovisual”, concluiu.

Luciano Klaus foi o entrevistado do “Chá das 5” desta quinta-feira.

Veja a entrevista:

 

Filme sobre a APL será lançado na segunda, dia 24

Gravação do documentário sobre a APL.

 

O documentário sobre a centenária história da Academia Piauiense de Letras será lançado na próxima segunda-feira (24/01), na posse da Diretoria da instituição.

O filme traz depoimentos de acadêmicos sobre o contexto da criação da Academia, em 1917, e sobre as fases que marcaram a sua atuação ao longo de mais de 100 anos, além de outros registros históricos.

O projeto, idealizado pelo presidente reeleito da APL, jornalista Zózimo Tavares, foi aprovado através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura para 2020.

A produção do filme foi feita a partir do segundo semestre de 2020 e concluída no primeiro semestre de 2021, com extremas dificuldades, por causa da pandemia da Covid-19.

Todos os protocolos sanitários foram cumpridos e os trabalhos foram concluídos sem qualquer registro de contágio da doença entre os participantes.

A Equatorial Energia é a patrocinadora do filme sobre a história da APL, dirigido pelo jornalista e documentarista Luciano Klaus.

A história de Esperança Garcia no cinema

O cartaz do filme sobre Esperança Garcia/Divulgação

O filme “Uma mulher chamada Esperança”, dirigido pelo cineasta Flávio Guedes, estreia nesta sexta-feira (19/11), em Teresina, com exibições até domingo (21), na Oficina da Palavra.

O lançamento do filme já ocorreu esta semana em Picos, onde foi rodado. Na próxima semana, será exibido em Oeiras.

O filme conta a história da escrava Esperança Garcia e está baseado na carta dela encontrada em 1970, no Arquivo Público do Piauí, pelo historiador Luiz Mott.

No documento, a escrava narra os maus-tratos aos quais era submetida junto com as suas companheiras e os seus filhos. Ela pedia ao chefe da província na época uma providência.

Esperança Garcia também reclamava do fato de ter sido separada do marido e de ser impedida de batizar os filhos.

A OAB-PI estudou o documento por dois anos, através da Comissão Estadual da Verdade da Escravidão Negra, e reconheceu a carta como a primeira petição e sua autora como a primeira advogada do Piauí.

“No Chá das 5”

O cineasta Flávio Guedes foi o entrevistado desta semana do “Chá das 5”, programa da Academia Piauiense de Letras na TV Nestante.

O diretor é natural de Oeiras, onde começou a fazer teatro. Mudou-se para Picos em 1997, onde integrou o grupo PBC – Projeto Bar Cultura.

Dedica-se ao audiovisual há 10 anos, já tendo levado 4 filmes aos cinemas, dentre os quais, “O Pescador e o Rio” e “Eita Píula”.

Flávio Guedes é bancário, pedagogo por formação e atualmente reside em São Paulo.

Veja a entrevista:

https://www.youtube.com/watch?v=6U7QAEuTdXE

Livro sobre o Albertão é lançado em Parnaíba

O livro “Albertão, um sonho realizado”, de autoria do desportista Celso Carvalho, foi lançado no final de semana no Centro Cultural Reis Velloso, em Parnaíba.

O livro foi publicado através da Coleção Século XXI, da Academia Piauiense de Letras, e focaliza uma das obras icônicas do governo Alberto Silva.

A obra conta a história do estádio Albertão, desde a sua construção, até a sua inauguração, em 26 de agosto de 1973.

Também traz um relato dos grandes jogos e outros espetáculos realizados no estádio, como duas apresentações da Seleção Brasileira.

O ato de lançamento em Parnaíba, a terra natal do ex-governador Alberto Silva, ocorreu mais de um ano depois da sessão de autógrafos em Teresina por causa da pandemia da Covid-19.

O lançamento foi articulado pela Academia Parnaibana de Letras, com a adoção das medidas de segurança sanitária.

Familiares do ex-governador, desportistas, intelectuais e outros convidados participaram do evento.

A Academia Piauiense de Letras foi representada no ato pelo acadêmico Elmar Carvalho. Também esteve presente ao lançamento o acadêmico Valdeci Cavalcante.

O engenheiro Alberto Silva, construtor do Albertão, integrou a Academia Piauiense de Letras, onde ocupou a Cadeira 1.

O lançamento do livro em Parnaíba

Capa do livro sobre o Albertão