Acadêmica Fides Angélica representa APL em inauguração de Biblioteca na OAB

A secretária-geral da Academia Piauiense de Letras, professora Fides Angélica, representou a APL na solenidade de inauguração da Biblioteca Advogado Hélio Martins Correia Lima, que teve a sua estrutura renovada.

A biblioteca está localizada na Nova ESA Piauí, que recentemente teve seu espaço amplamente reestruturado. O ato solene de inauguração foi realizado ontem (20/07).

O presidente da OAB-PI, Celso Barros Coelho Neto, explicou que a biblioteca é mais um investimento da Seccional para fomentar a cultura jurídica dos piauienses.

O espaço funciona das 8h às 14h com agendamento pelo telefone (86) 2107-5823 ou pelo WhatsApp (86) 9 9993-2042.

A solenidade de inauguração foi prestigiada ainda pelos membros honorários vitalícios da OAB-PI, Nelson Nery e Sigifroi Moreno, além de Fides Angélica, também ex-presidente da Ordem; por familiares do homenageado e conselheiros seccionais, presidentes e membros de Comissões Temáticas.

(Com informações e imagens da Ascom OAB/PI)

A nova biblioteca da OAB-PI

APL doa livros para a Biblioteca Assis Brasil

A Academia Piauiense de Letras dou mais de 200 livros para o acervo da Biblioteca Assis Brasil, que está sendo instalada no Museu do Mar, em Parnaíba.

As obras foram selecionadas das Coleções Centenário e Século 21. Entre elas, está o romance “O Prestígio do Diabo”, do próprio Assis Brasil, homenageado com o nome da biblioteca.

Os romances “Teodoro Bicanca” e “A Civilização do Couro”, do parnaibano Renato Castelo Branco, também constam da relação dos livros doados pela APL.

A inauguração do novo espaço cultural está prevista para este semestre, conforme a Secretaria de Cultura.

Projeto de Leitura

A APL participou, no ano passado, do Projeto Te Aquieta e Lê, lançado e executado pela Secretaria Estadual de Cultura para incentivar a leitura durante o isolamento social da pandemia da Covid-19.

Ao longo do ano, foram distribuídos gratuitamente mais de 7 mil livros para leitores de mais de 100 municípios piauienses.

A Academia sugeriu à Secretaria de Cultura que esse projeto seja executado de forma permanente.