APL encerra Centenário Fontes Ibiapina

A Academia Piauiense de Letras encerra nesta quinta-feira (30/06) as comemorações do Centenário Fontes Ibiapina.

O programa foi iniciado no último dia 20, com a abertura de exposição sobre a vida e a obra do escritor, na sede da APL.

Durante dez dias, foram realizadas na Academia várias palestras sobre Fontes Ibiapina, a cargo de estudiosos de sua obra, como a professora Raimunda Celestina, o professor Lueldo Teixeira Bezerra e o professor Ernani Getirana .

Houve também a apresentação de peça teatral “Casamento da Pafúncia”, escrita pelo homenageado.

Três livros de Fonte Ibiapina foram lançados durante o centenário do escritor: “Dicionário de Brasileirismos no Piauí”; “Terreiro de Fazenda” e “Paremiologia Nordestina”.

Fontes Ibiapina, escritor e magistrado, foi membro da Academia Piauiense de Letras e do Conselho Estadual de Cultura.

Obras de Fontes Ibiapina lançadas durante o centenário.
Objetos pessoais do escritor

Centenário de Fontes Ibiapina vai até sábado, 25

As comemorações do Centenário Fontes Ibiapina, abertas ontem (20/06), na Academia Piauiense de Letras, prosseguem até o próximo sábado (25/06).

A abertura do evento foi feita pelo presidente da APL, Zózimo Tavares, em ato que contou com a presença de parentes do escritor homenageado, acadêmicos e convidados.

A instalação do Centenário Fontes Ibiapina foi feita, por coincidência, no encerramento da abertura do Curso de Combate a Incêndio Florestal, promovido pelo Corpo de Bombeiros do Piauí no auditório da APL.

O presidente da Academia fez a apresentação do autor e discorreu brevemente sobre a sua obra literária “Palha de Arroz”, que retrata os incêndios de casebres de palha em Teresina, na década de 1940.

O acadêmico lembrou que o episódio dos incêndios levou à criação do Corpo de Bombeiros.

Exposição

Estavam presentes à cerimônia o secretário de Segurança, coronel Rubens; o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Jota Rego, e o adido de Polícia da França, Serge Giordano, além de instrutores e alunos do curso.

Após a declaração do início da celebração do Centenário, houve a abertura da Exposição sobre a vida e a obra de Fontes Ibiapina.

Palestras

Nesta quarta-feira (22/06), haverá no auditório da APL a palestra “Realidade e ficção na obra de Fontes Ibiapina”.

Na quinta (23/06), outra palestra, “O acervo de FI: Fontes inesgotáveis de pesquisa”.

Na sexta (24/06), mais uma palestra em torno da obra do escritor: “Um folclorista na Academia de Letras”

Todas as palestras serão a partir das 9 horas.

Livros

Três livros de Fonte Ibiapina estão sendo lançados durante o centenário do escritor: “Dicionário de Brasileirismos no Piauí”; “Terreiro de Fazenda” e “Paremiologia Nordestina”.

Chá das 5

Nesta quinta-feira (23/06), o programa “Chá das 5”, apresentado às 17 horas, na TV Nestante (YouTube) pela APL, será dedicado ao escritor Fontes Ibiapina.

A entrevistada será a professora e mestra Laila Ibiapina Caddah, sua neta, com a participação de convidados.

O programa dos 100 anos de Fontes Ibiapina será encerrado no sábado com mais palestras e apresentação de peça teatral do autor no auditório da APL.

Abertura da exposição com a presença do adido francês, acadêmicos, autoridades e parentes d escritor.

Presidente da APL abre o Centenário Fontes Ibiapina.

Objetos pessoais do escritor na exposição.

Zózimo Tavares com Jamile Ibiapina Caddah, filha do escritor, e Mundica Fontes

Acadêmico Francisco Miguel de Moura com Mundica Fontes e Mécia.

A artista plástica Mundica Fontes, ilustradora das capas do escritor, com o acadêmico Elmar Carvalho.

Adido francês visita estante com as obras de Fontes Ibiapina.

Academia celebra o Centenário de Fontes Ibiapina

A Academia Piauiense de Letras abre, nesta segunda-feira (20/06), às 10 horas, o programa do Centenário de Fontes Ibiapina, ocupante da Cadeira 9.

A abertura será feita pelo presidente da APL, Zózimo Tavares, que anunciará o evento e convidará para a visita à exposição sobre a trajetória de vida e literária do escritor homenageado.

O programa comemorativo do centenário de Fontes Ibiapina foi definido pela Academia com a participação de sua neta Laila Fontes Caddah e da artista plástica Mundica Fontes, sua prima e ilustradora das capas de seus livros.

 

Programação do Centenário

 

  1. Exposição: vida e obra de Fontes Ibiapina

(Sala do Escritor/Acadêmico e Galeria)

Aberta à visitação de 20 a 30 junho,  8 às 12h, na APL

 

  1. Palestras sobre Fontes Ibiapina

 

Auditório (9 às 12h)

 

Quarta (22/06) Realidade e ficção na obra de FI

 

Quinta (23/06)

O acervo de FI: Fontes inesgotáveis de pesquisa

 

Sexta (24/06)

Um folclorista na Academia de Letras

 

  1. Livros para aquisição

 

– Dicionário de Brasileirismos no Piauí

 

– Terreiro de Fazenda

 

– Paremiologia Nordestina

 

  1. Chá das 5

Evento on line, APL

(Quinta-feira às 17h)

 

O homenageado

João Nonon de Moura FONTES IBIAPINA foi magistrado, cronista, romancista e folclorista. Nasceu em Picos (1921) e faleceu em Parnaíba (1986).

Escreveu os romances Sambaíba (1961), Palha de Arroz (1968), Tombador (1971) e Vida Gemida em Samambaia (1986).

Entre seus livros de contos, estão Chão de Meu Deus (1958); Brocotós (1961), Pedra Bruta (1964); Congresso de Duendes (1969); Mentiras grossas de Zé Ratinho e Quero, Posso e Mando.

No campo do folclore, publicou Paremiologia Nordestina, 1975; e Passarela de marmotas.

No teatro, escreveu a peça O Casório de Pafunça.

Deixou várias obras inéditas.

(Fonte: Antologia da Academia Piauiense de Letras, de Wilson Carvalho Gonçalves)

Acadêmico lança livro sobre Freud no Salipi

Freud Além do Si-Mesmo é o título do livro do psiquiatra, professor e acadêmico Humberto Guimarães lançado no 20º Salão do Livro do Piauí (Salipi), realizado na semana passada, em Teresina.

O livro foi publicado pela Editora da Universidade Federal do Piauí e sua apresentação ocorreu no Bate-Papo Literário do Salipi.

O lançamento foi acompanhado pelo reitor da UFPI, Gildásio Guedes, acadêmicos e outros convidados.

Com a publicação de Freud Além do Si-Mesmo, o autor entrega ao público um trabalho ousado sobre Freud, que é considerado um dos principais nomes da psicanálise.

“Quando eu iniciei a escrita desse livro, eu não tinha a intenção de escrever mais sobre a vida dele, sobre o que ele fez ou sobre o que ele escreveu. Eu já estava saturado desse assunto. O que me motivou foi a persistência com a qual ele encarava algumas questões do seu tempo e que ainda são atuais na nossa sociedade até os dias de hoje”, justificou Humberto Guimarães.

Após o bate-papo, o escritor participou de uma sessão de autógrafos, que contou com a presença de familiares, amigos e membros da APL.

O livro está disponível na Livraria da Edufpi, ao lado da Biblioteca Carlos Castello Branco, no Espaço Cultural Rosa dos Ventos, no Campus da Ininga.

 

Reitor Gildásio Guedes e acadêmico Fonseca Neto no lançamento.

Capa do novo livro de Humberto Guimarães. 

Acadêmico lança no Salipi o livro mais pesquisado sobre o Piauí

O livro “Economia e Desenvolvimento do Piauí”, lançado em segunda edição no 20º Salão do Livro do Piauí (Salipi), é o mais citado nas pesquisas bibliográficas sobre o Estado.

O autor da obra é o economista, professor e acadêmico Felipe Mendes, que fez a apresentação do livro no Bate-Papo Literário do Salipi, seguida de debate.

O livro foi publicado pela Editora da Universidade Federal do Piauí (EDUFPI), através de convênio com a Academia Piauiense de Letras.

A primeira edição saiu em 2003 e foi publicada pela Fundação Cultural Monsenhor Chaves.

A nova edição é revista e atualizada.

O livro

O livro se divide em quatro partes. Na primeira, o autor aborda a questão da economia do Piauí, com foco nos fatores de produção e no sistema produtivo.

Na segunda parte, cuida das limitações e possibilidades de desenvolvimento do Piauí.

Já na terceira parte, seu foco é a política e o desenvolvimento recente (1950-2002).

Neste ponto, apresenta as conclusões da primeira e da segunda edições, estabelecendo um comparativo entre ambas.

Por fim, a quarta parte traz as referências bibliográficas, os dados estatísticos e outros documentos distribuídos ao longo das 480 páginas do livro, que pode ser adquirido na Livraria da UFPI, no Espaço Rosa dos Ventos, Campus da Ininga.

A capa do livro do acadêmico Felipe Mendes.

 

Livro conta a história da terra no Piauí

Terras: domínio e servidão, um dos livros lançados por membros da Academia Piauiense no 20º Salão do Livro do Piauí, trata da fundação historiográfica integrante do Relatório sobre o Acervo dos Registros Históricos de Gestão e Cadastros Fundiários do Piauí.

O livro é de autoria do historiador, professor, advogado e acadêmico Fonseca Neto e foi publicado pela editora Nova Aliança.

A obra destina-se, especialmente, aos interessados na história da luta social pela posse da terra nos sertões do Piauí.

O lançamento foi feito no Bate-Papo Literário do Salipi, seguido de debate com o autor.

Três séculos de história

A obra está dividida em quatro capítulos: 1) O desterro dos povos originários; 2) Sesmarias: terras virgens, terras de lavrar; 3) Condado de Oeiras, inventário de possuidores; e 4) Sinais do domínio: das marcas no chão ao punho dos escribas.

Segundo Fonseca Neto, o livro “é uma contribuição, entre outras, com vistas ao conhecimento de mais de três séculos e meio de fixação do quadro-territorial-fundiário na bacia do rio Punaré, chamado depois, e até hoje, de rio Parnaíba”.

Capa do livro do acadêmico Fonseca Neto lançado no Salipi 22.

 

 

Presença da APL marcou o Salipi 22

A volta da Academia Piauiense de Letras ao Salão do Livro do Piauí (Salipi) foi apontada pela coordenação do evento como um dos grandes momentos de sua 20ª edição, encerrada ontem (12/06) à noite.

A APL montou um estande e participou da programação oficial do Salipi em vários momentos.

A Academia fez o lançamento coletivo de sete obras publicadas pela Coleção Centenário.

Vários acadêmicos fizeram lançamentos individuais de livros e participaram do Bate-Papo Literário.

A Academia também realizou pela primeira vez uma sessão solene no Salipi, para dar posse ao poeta e compositor Climério Ferreira na Cadeira 36.

O estande

O estande da Academia foi um dos mais visitados durante todo o evento, iniciado no dia 3.

A governadora Regina Sousa, o escritor Ignácio de Loyola Brandão, da Academia Brasileira de Letras, professores, estudantes e autores visitaram o estande da APL.

A Academia homenageou em seu estande o acadêmico Celso Barros Coelho, pelos seus 100 anos de vida.

O 20º Salão do Livro foi realizado no Espaço Cultural Rosa dos Ventos, da Universidade Federal do Piauí, e homenageou o professor Cineas Santos, um de seus fundadores.

Governadora Regina Sousa no Estande da APL.

Presidente da APL recebe Ignácio de Loyola Brandão e Cineas Santos.

Visita de alunos da Escola José Emilio Ommati.

Carlos Said com os filhos Fernando e Gustavo.

Acadêmico Oton Lustosa autografa livro.

Lançamento coletivo der livros da APL no Bate-Papo Literário.

Acadêmico Fonseca Neto no Bate-Papo.

Acadêmicos e convidados no estande da APL.

Acadêmico Felipe Mendes no Bate-Papo.

Posse do acadêmico Climério Ferreira.

Show na posse de Climério Ferreira

A cerimônia de posse do poeta e compositor Climério Ferreira na Cadeira 36 da Academia Piauiense de Letras foi seguida de um show com artistas locais interpretando a obra musical dos irmãos Clodo, Clésio e Climério.

A Sessão Solene de posse do novo acadêmico foi realizada ontem (11/06) no Cine-Teatro da Universidade Federal do Piauí, situado no Espaço Cultural Rosa dos Ventos, como parte da programação oficial do 20º SaLiPi – Salão do Livro do Piauí.

A cerimônia, conduzida pelo presidente da APL, Zózimo Tavares, contou com a presença do reitor da UFPI, professor Gildásio Guedes, e do presidente da Fundação Quixote, instituição que organiza e realiza o Salipi, professor Kássio Gomes, acadêmicos e outros convidados.

O discurso de saudação ao novo acadêmico foi proferido pelo acadêmico Dilson Lages. Climério assumiu a Cadeira 36, que era ocupada por Assis Brasil.

O show

Após a Sessão Solene, a Banda Os Lucas e convidados realizaram um show musical interpretando as canções mais conhecidas dos piauienses Clodo, Clésio e Climério, que desde os anos 1960 se radicaram em Brasília.

O show contou com a participação das Fulô do Sertão e dos músicos Naeno e Júlio Medeiros, parceiros de Climério Ferreira em várias canções.

Os Lucas e convidados interpretaram, entre outras, as canções Estaca Zero, Conflito, Cebola Cortada, Incelença, Revelação, Flora, São Piauí, Meu amor, Riachão e Enquanto goma a calça.

As canções do grupo piauiense foram gravadas por eles mesmos, em sete discos, e também por intérpretes como Ednardo, Fagner, Belchior, Dominguinhos, Elba Ramalho, Amelinha, Milton Nascimento e Fernanda Takai.

Acadêmico Fonseca Neto, 1º secretário da APL, lê o termo de posse do novo imortal.

Climério faz discurso de posse na APL.

Dilson Lages faz discurso de recepção ao novo acadêmico.

Acadêmica Socorro Rios Magalhães conduz o cerimonial da posse.

Novo acadêmico recebe pelerine e colar acadêmicos da esposa Heloisa Monteiro.

Acadêmicos na foto oficial após a posse.

As Fulô do Sertão com os Lucas

Os Lucas cantam Clodo, Clésio e Climério

Júlio Medeiros, Naeno e os Lucas.

Climério Ferreira toma posse na APL neste sábado, 11

O poeta e compositor Climério Ferreira toma posse neste sábado, às 10 horas, na Cadeira 36 da Academia Piauiense de Letras, que teve como último ocupante o escritor Assis Brasil.

A Sessão Solene de posse do novo acadêmico será realizada no Cine-Teatro da Universidade Federal do Piauí, no Espaço Cultural Rosa dos Ventos, como parte da programação oficial do 20º SaLiPi – Salão do Livro do Piauí.

Climério Ferreira é também professor aposentado da Universidade de Brasília.

Trabalhou no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), em São José dos Campos, e fez mestrado no Canadá.

Ele nasceu em Angical do Piauí, residiu em Teresina e mudou-se para Brasília na década de 1960.

Desde a juventude, tem forte presença no cenário cultural de Brasília e da Música Popular Brasileira.

Na década de 1970, gravou discos com os irmãos Clodo e Clésio. Um deles, “São Piauí”, é considerado pela crítica como um disco antológico da MPB.

Suas canções já foram gravadas por intérpretes como Ednardo, Fagner, Belchior, Dominguinhos, Elba Ramalho, Amelinha, Milton Nascimento e Fernanda Takai.

Publicou 15 livros de poemas.

 

Acadêmicos lançam livros no Salipi neste fim de semana

Mais quatro livros serão lançados neste final de semana no Salão do Livro do Piauí por membros da Academia Piauiense de Letras.

Nesta sexta-feira, 10, às 18h, o psiquiatra, professor e escritor Humberto Guimarães lança, no Espaço Bate-Papo Literário, Freud além do si-mesmo, publicado pela Editora da UFPI.

Em seguida, às 18h30, o economista e professor Felipe Mendes lança, no estande da Edufpi, Economia e Desenvolvimento do Piauí, publicado também pela Editora da Universidade Federal do Piauí.

Já no sábado, dia 11, às 18h, o desembargador e escritor Oton Lustosa lança, no Bate-Papo Literário, o seu livro de contos Em busca de uma rede na varanda, publicado pela Bienal Editora.

Logo depois, às 20h, o poeta e compositor Climério Ferreira lança, também no Bate-Papo, seu novo livro de poemas A música imóvel do tempo, publicado pela Fundação Quixote, organizadora do Salipi.

Outros lançamentos

Na quarta-feira, dia 8, às 16h, o historiador e professor Fonseca Neto lançou no Bate-Papo Literário o livro Terras: domínio e servidão, publicado pela editora Nova Aliança.

Na segunda-feira, dia 6, o jornalista Zózimo Tavares lançou HGV – Um marco na saúde do Piauí, publicado pela Bienal Editora.

Além dos lançamentos individuais dos acadêmicos, houve também, na quarta-feira, 8, no Bate-Papo Literário, o lançamento coletivo de sete obras da Coleção Centenário publicadas pela Academia Piauiense de Letras.