APL apresenta relatório da gestão anterior

Pela primeira vez, a gestão da Academia Piauiense de Letras, que se encerrou dia 24 de janeiro, apresentou um relatório mostrando a situação administrativa, financeira e editorial da APL.

O documento objetiva oferecer à nova gestão uma visão panorâmica acerca do funcionamento da Casa de Lucídio Freitas, contendo todas a atividades realizadas e as atividades pendentes da gestão presidida pelo acadêmico Zózimo Tavares.

A presidente Fides Angélica Ommati afirmou que isso foi muito importante porque agilizou e facilitou o trabalho da nova diretoria na continuidade das atividades da instituição.

APL solicita ao Governo do Estado cessão de colaboradores

A Academia Piauiense de Letras, que é uma entidade sem fins lucrativos e de utilidade pública, solicitou ao Governo do Estado do Piauí, através de um ofício ao governador, a cessão de pessoal para o bom funcionamento da instituição.

A APL nunca teve um quadro de funcionários e não possui receitas próprias, portanto, o Governo do Estado do Piauí sempre cedeu servidores seus para prestar serviços.

Tendo em vista essa situação, anualmente, a Academia Piauiense de Letras, pede a regularização dos colaboradores em atividade, mas em razão da defasagem pessoal, por motivos de aposentadorias e outros eventos, solicitou a cessão de novos servidores.

Nova Diretoria da APL faz primeira reunião de trabalho

A presidente da Academia Piauiense de Letras, Fides Angélica Ommati, conduziu nesta quarta-feira (31/01) a primeira reunião administrativa da nova diretoria da entidade.

Ela apresentou o plano de atividades para o semestre e discutiu assuntos internos com os demais diretores.

A nova Diretoria foi eleita na quarta-feira passada (24/01) para exercer mandato de dois anos.

Participaram da reunião o vice-presidente Fonseca Neto, a 1ª secretária Socorro Rios Magalhães, o 2º secretário Zózimo Tavares, o secretário geral Magno Pires e o tesoureiro Reginaldo Miranda, além do assessor especial da presidência Marcelino Barroso.

Também recebeu um relatório da gestão anterior um relatório mostrando a situação administrativa, financeira e editorial da Academia.

A APL tem sua primeira reunião ordinária, na nova gestão, no próximo sábado, dia 3, com pauta livre.

CBL lança o Prêmio Jabuti Acadêmico

A Câmara Brasileira do Livro (CBL) anunciou a primeira edição do Prêmio Jabuti Acadêmico.

A nova premiação é dedicada às áreas científicas, técnicas e profissionais, e visa valorizar, reconhecer a excelência  e divulgar os autores e editores que se dedicam a esses segmentos no Brasil.

As obras devem ter sido publicadas em primeira edição entre 1 de janeiro e 31 de dezembro de 2023.

A premiação será dividida em dois eixos: Ciência e Cultura, e Prêmios Especiais, que contarão ao todo com 29 categorias. Os autores premiados em cada uma das categorias receberão a estatueta em cerimônia especial, além de receberem o prêmio de R$ 5 mil. 

As editoras das obras premiadas receberão uma estatueta do Jabuti.

As inscrições já podem ser realizadas por meio do site do Prêmio Jabuti (www.premiojabuti.com.br/academico) até as 18h do dia 19 de março.

(Com informações da CBL)

Documentário mostra as ações da APL

Um resumo das atividades da Academia Piauiense de Letras foi mostrado no documentário “APL em Ação”, sobre o período 2020-2024.

A exibição do vídeo ocorreu na cerimônia de encerramento do mandato da gestão do período e de posse da nova diretoria.

A solenidade foi realizada na quarta-feira (24/01) à noite, no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção Piauí.

O documentário tem 10 minutos de duração e direção do jornalista e professor Luciano Klaus, diretor também do filme “Sonho que saiu do papel” (2021), sobre a história da APL.

Veja o documentário:

https://www.youtube.com/watch?v=4XKN9mXwswM

Governador destaca protagonismo feminino na APL

A posse da Diretoria da Academia Piauiense de Letras para o biênio 2024-2026 foi um dos grandes momentos da instituição.

O evento foi prestigiado por altas autoridades do Piauí, como o governador Rafael Fonteles, que enalteceu o protagonismo feminino também nas letras com a posse da professora e advogada Fides Angélica na presidência da APL.

O presidente da OAB-PI, Celso Barros Coelho Neto, destacou que Fides Angélica foi a primeira mulher eleita presidente de uma das 27 Seccionais da OAB no Brasil em 92 anos de OAB.
Também foi a primeira mulher reeleita e até agora a única eleita por três mandatos como Presidente da OAB.
Ocupou 11 mandatos eletivos no sistema OAB. Além de presidente da OAB, foi Secretária Geral, Conselheira Federal por 6 mandatos e Diretora Geral da Escola Nacional da Advocacia, criando a Escola no Piauí em 1997, sendo um marco no ensino jurídico do Estado.

O acadêmico Zózimo Tavares afirmou que se despedia da presidência da APL com a certeza de que deixava a Academia em boas mãos.

Ele informou que Fides Angélica tem 30 anos na Casa de Lucídio Freitas, já foi vice-presidente da APL e, na última gestão, exerceu o cargo de secretária geral.

“A Secretaria Geral é uma espécie de Prefeitura da Academia, mas a professora Fides foi a nossa primeira-ministra”, brincou, ao destacar a colaboração dela para a gestão que se findava.

Além de Fides Angélica, outra mulher integra a nova Diretoria da APL, a professora Socorro Rios Magalhães, 1ª secretária.

Também se fizeram presentes à cerimônia de posse os reitores da Universidade Federal do Piauí, Gildásio Guedes, e da Universidade Estadual do Piauí, Evandro Alberto.

O professor e jurista César Barros Leal, da Academia Cearense de Letras e amigo da nova presidente, prestigiou o evento.

A cerimônia foi realizada no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção do Piauí.

Antes da posse dos novos dirigentes da APL foi exibido um videodocumentário sobre as atividades da academia.

(Imagens: Jairo Moura)

Núcleo Feminino da APL prestigia posse

O Núcleo Feminino da Academia Piauiense de Letras participou da cerimônia de posse da nova Diretoria da APL, na qual a acadêmica Fides Angélica Ommati foi investida no cargo de presidente e a acadêmica Socorro Rios Magalhães no de 1ª secretária.

A solenidade foi realizada na quarta-feira à noite (24/01), no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção do Piauí.

O Núcleo Feminino é composto pelas acadêmicas, esposas e viúvas dos acadêmicos e está plenamente integrado às atividades da Academia, inclusive participando ativamente do projeto “APL Itinerante”.

A coordenadora do Núcleo é a acadêmica Nerina Castelo Branco, decana da APL. Ela não pôde comparecer à cerimônia, mas foi homenageada tanto pela nova presidente Fides Angélica quanto pelo presidente que encerrava seu mandato, Zózimo Tavares.

A nova presidente da APL garantiu que o fortalecimento das ações do Núcleo Feminino é uma das prioridades da plataforma de sua gestão.

(Imagens: Jairo Moura)

APL distingue personalidades com Diploma Lucídio Freitas

Duas personalidades foram homenageadas pela Academia Piauiense de Letras na cerimônia de posse da nova Diretoria, na noite de quarta-feira (24/01).

Os homenageados receberam o Diploma Lucídio Freitas, a mais alta honraria da APL, pelos relevantes serviços prestados à cultura e, especialmente, à Academia.

Os agraciados foram o secretário de Governo, Marcelo Noleto, e o presidente do Conselho Estadual de Educação, Carlos Alberto Pereira.

Por designação do presidente da APL, a presidente empossanda Fides Angélica fez a entrega do diploma do secretário de Governo.

O diploma do presidente do CEE foi entregue pelo ex-presidente Nelson Nery. Impossibilitado de comparecer ao evento, o homenageado foi representado pelo deputado Fábio Novo.

Os homenageados

MARCELO NUNES NOLLETO – Pós-graduado em Direito do Trabalho e Processo do Trabalho, Marcelo Nolleto é analista judiciário do Tribunal Regional do Trabalho da 22ª Região, onde exerceu a função de Diretor de Secretaria e Secretário de Governança e Estratégia. Foi assessor na Secretaria de Estado da Fazenda e atualmente é Secretário de Estado de Governo.

CARLOS ALBERTO PEREIRA DA SILVA – Graduado em Física pela Universidade Federal do Piauí (1988). Tem mestrado em Física pela Universidade Federal do Ceará (1994). Professor da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), onde exerceu o cargo de reitor. Foi superintendente de Ensino da Secretaria Estadual de Educação e nessa função trabalhou pela implantação da disciplina de Literatura Piauiense na rede escolar. Preside o Conselho Estadual de Educação.

Deputado Fábio Novo recebe diploma do presidente do CEE.

Cerimônia de Posse da Diretoria da APL, no auditório da OAB-PI.

Fides Angélica assume presidência da APL

A Academia Piauiense de Letras viveu ontem (24/01) uma noite de festa – a posse de sua nova diretoria – e também histórica – com uma mulher assumindo pela primeira vez a presidência da instituição.

A Sessão Solene de Posse da nova diretoria foi realizada no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção do Piauí (OAB-PI), sendo dividida em dois momentos.

No primeiro, o presidente que se despedia, Zózimo Tavares, apresentou um balanço das realizações da gestão que concluía seu mandato.

A Academia outorgou o Diploma do Mérito Cultural Lucídio Freitas – sua mais importante comenda – ao secretário de Governo, Marcelo Noleto, e ao presidente do Conselho Estadual de Educação, Carlos Alberto Pereira.

Na segunda parte do evento, Zózimo Tavares deu posse à nova presidente, Fides Angélica Ommati, que empossou os demais dirigentes e apresentou seu plano de trabalho para o próximo biênio.

Presenças

A cerimônia contou com a presença do governador Rafael Fonteles, que destacou a importância de uma mulher no comando da APL e reafirmou o apoio de seu governo à cultura e à Academia, ampliando as parcerias já existentes.

O professor e jurista César Barros Leal, membro da Academia Cearense de Letras, também se fez presente à sessão.

Os reitores da Universidade Federal do Piauí, Gildásio Guedes, e da Universidade Estadual do Piauí, Evandro Alberto, e o presidente da OAB-PI, Celso Barros Neto, também prestigiaram a posse da nova diretoria da APL.

O presidente do Conselho Estadual de Cultura, Nelson Nery; o secretário estadual de Cultura, Carlos Anchieta; e o secretário municipal de Educação , Nouga Cardoso, também compuseram o dispositivo de honra.

A conselheira Lílian Martins representou o Tribunal de Contas do Estado (TCE) na cerimônia.

Ao final, advogado Francisco Almeida fez uma homenagem à nova presidente em forma de cordel.

A nova Diretoria da APL tem mandato de dois anos e é composta por Fides Angélica Ommati (presidente); Fonseca Neto (vice-presidente); Magno Pires (secretário geral); Socorro Rios Magalhães (1ª secretária); Zózimo Tavares (2º secretário) e Reginaldo Miranda (tesoureiro).

Imagens: Jairo Moura

APL mais interativa, digital e interiorizada

Camila Juliana/APL-UFPI

Termina nesta quarta-feira (24/01) o período de quatro anos do jornalista Zózimo Tavares na presidência da Academia Piauiense de Letras (APL). Ele passa o bastão para a advogada e professora Fides Angélica Ommati.

O balanço aponta para uma gestão que fez a APL mais presente na sociedade, mais digital, interativa e abraçando causas de interesse da cultura e da identidade do estado, como o fortalecimento da literatura piauiense.

Zózimo cumpriu dois biênios, iniciados em janeiro de 2020, quando o mundo começava o desafio de lidar com a pandemia da Covid-19.

APL on-line

Foi também um desafio para a APL, que fez do limão uma limonada: a Academia Piauiense foi a primeira do país a usar a internet para fazer suas reuniões e eventos online.

Treinamentos asseguraram o acesso dos acadêmicos às novas tecnologias e à ampla participação nos encontros regulares. “A sessão no formato remoto possibilitou a participação de imortais que moram fora de Teresina e, que, por isso, têm dificuldade de comparecer às reuniões presenciais”, destaca Zózimo.

A transmissão e gravação das sessões e eventos aconteciam por meio do canal da Academia no YouTube – a TV APL, criado na mesma época. O isolamento imposto pela pandemia fez surgir o programa “Chá das 5”, em parceria com a TV Nestante.

A APL integrou o projeto “Te Aquieta e Lê”, criado pela Secretaria Estadual de Cultura, para doar livros, ajudando as pessoas a lidar com o isolamento social.

Pesquisa e leitura
O “Te Aquieta e Lê” levou à doação de muitos livros de autores locais, um gesto que está ligado a outra marca da gestão Zózimo: a luta pelo fortalecimento da literatura do Piauí. Isso inclui a pesquisa sobre os hábitos de leitura dos piauiense, resultando no filme “O sonho que saiu do papel”.

Não parou aí: a APL se empenhou pela implantação do ensino de literatura piauiense nas escolas do Estado; e pela inclusão do tema nos concursos públicos – providência já adotada pelo IFPI e pela Assembleia Legislativa do Piauí.

Bicentenário
Em 2023, a APL lançou a “Coleção Bicentenário”, com obras que fazem parte do programa de celebrações dos 200 anos da Independência.

A ação teve parceria com o Conselho Estadual de Cultura, o Instituto Histórico e Geográfico do Piauí e a Secretaria Estadual de Cultura.

Para Zózimo, a coletânea ressalta que a independência não foi só um dia, o 7 de setembro de 1822, mas uma série de lutas, nas quais o Piauí tem destaque.

“Só a partir da Batalha do Jenipapo o Brasil se fez de fato independente de Portugal. Mas o país praticamente só está sabendo disso agora, 200 anos depois”, acentua.

Itinerância
Nos seus quatro anos à frente da APL, Zózimo implementou o projeto “APL itinerante”, fazendo a academia ganhar a estrada e se aproximar da sociedade.

A primeira viagem foi para a instalação oficial em São Raimundo Nonato. Em seguida a APL promoveu encontros em Oeiras, Floriano e Pedro II, o que favoreceu a interiorização da academia.

Também aconteceram sessões em espaços históricos e culturais de Teresina, como os campi da UFPI e Uespi, bem como a Fundação Wall Ferraz. “É uma forma de interagir e de lembrar que a Academia é de fato ‘Piauiense’”, destaca Zózimo.