Hugo toma posse na Academia Brasiliense de Letras

O advogado e escritor Hugo Napoleão toma posse, nesta sexta-feira (08/04), na Cadeira 20 da Academia Brasiliense de Letras, cujo patrono é Silvio Romero.

A cerimônia de posse do novo acadêmico será realizada na sede do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, sob a condução do presidente da ABrL, escritor Fábio de Sousa Coutinho.

O discurso de recepção será pronunciado pelo acadêmico Carlos Fernando Mathias de Souza.

A Academia Piauiense de Letras, onde Hugo Napoleão ocupa a Cadeira 9, será representada no evento pelo acadêmico Pedro da Silva Ribeiro, por designação do presidente Zózimo Tavares.

Hugo Napoleão foi eleito em 24 de setembro, na sucessão do acadêmico Marco Maciel, ex-vice-presidente da República e, como Hugo Napoleão, também governador, deputado federal, senador e ministro da Educação.

“Eu fui advogado de JK” é o livro mais recente do novo acadêmico. A obra foi lançada em 2019. No momento, o acadêmico Hugo Napoleão está dedicado à escrita de suas memórias.

Ele publicou, entre outras, as seguintes obras: O leasing no Brasil (1973), Fatos da história do Piauí (1974), Incentivos fiscais ao turismo (1975), Educação e trabalho (1977), Petrônio Portella: de Valença para a história (1981), Presença do Piauí no Congresso Nacional (1983), Educação e Democracia (1989) e Juscelino Kubitschek, mensageiro da esperança, Education in Brazil: a review of its structure, problems, and politics (1989), A Onda Liberal (1990); O liberalismo na América Latina (1990), BEP: A saga de um banco (1990); José Guilherme Merquior: contemporâneo do amanhã (1991), Brazil: energy and power (1998), O admirável mundo das comunicações (1998), e Petrônio Portella: pilar da democracia (2000).

 

 

Hugo apresenta novo livro do desembargador Brandão

Acadêmicos Wilson Brandão, Hugo Napoleão e Zózimo Tavares com o desembargador Brandão

 

O ex-senador e acadêmico Hugo Napoleão fez a apresentação do livro “Trajetória de um homem”, no lançamento da obra, ontem (25/03), no auditório do Tribunal de Justiça do Piauí.

O livro é de autoria do desembargador Luiz Gonzaga Brandão de Carvalho, presidente da Academia de Letras da Magistratura do Piauí.

A obra conta a sua trajetória de vida, de forma autobiográfica, começando de seu nascimento em Piracuruca.

Também traz depoimentos sobre o autor. Um deles é o do ministro Kassio Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal.

O presidente do Conselho Estadual de Cultura, acadêmico Nelson Nery Costa, escreve a contracapa do livro.

Brandão ocupou, entre outros, os cargos de vice-presidente da OAB-PI, presidente do Tribunal de Justiça e presidente do Tribunal Regional Eleitoral.

O lançamento foi prestigiado por magistrados, familiares do autor, políticos, intelectuais e outros convidados.

Da Academia Piauiense de Letras se fizeram presentes os acadêmicos Elmar Carvalho, Hugo Napoleão, Wilson Brandão e Zózimo Tavares.

 

Hugo faz conferência de abertura em evento nacional

O acadêmico, ex-ministro e ex-senador Hugo Napoleão fará a conferência de abertura oficial do XXV Congresso Nacional de Cerimonial e Protocolo.

O evento será realizado de 27 a 29 de outubro, em Brasília, nos formatos presencial e virtual.

O tema central do Congresso é “Cerimonial – Reflexões para um tempo de mudanças”.

A conferência de Hugo Napoleão será às 14h45. Ele abordará o tema “O cerimonial na visão da autoridade”.

Hugo Napoleão é eleito para a Academia Brasiliense de Letras

O acadêmico Hugo Napoleão, ocupante da Cadeira 9 da Academia Piauiense de Letras, será o novo titular da Cadeira 20 da Academia Brasiliense de Letras.

Ele foi eleito ontem (24/09), com 32 dos 35 votos apurados, para suceder o acadêmico Marco Maciel, ex-vice-presidente da República. A data da posse ainda não foi marcada.

O presidente da APL, Zózimo Tavares, cumprimentou o novo acadêmico pela sua eleição e a Academia Brasiliense de Letras pela escolha, destacando os perfis semelhantes de Marco Maciel e Hugo Napoleão.

Zózimo Tavares lembrou que ambos, democratas e liberais, foram deputados federais, governadores de seus Estados, senadores e ministros.

Ainda na observação do presidente da APL, além de devotados às letras e às artes, Maciel e Hugo se destacaram também pela polidez dos gestos, mesmo nos momentos mais duros dos embates políticos.

O presidente da APL recordou ainda que Marco Maciel e Hugo Napoleão estiveram juntos num dos momentos mais importantes da vida do Brasil, que foi o processo de redemocratização do país, como líderes da Aliança Liberal que elegeu o presidente Tancredo Neves, em 1985.

No momento, o acadêmico Hugo Napoleão está dedicado à escrita de suas memórias, já tendo publicado em 2019 o primeiro volume, “Eu fui advogado de JK”.