Jônatas Baptista

E A PAIXÃO PELO TEATRO
Teresinha Queiroz*

A arte dramática é a arte por excelência do século XIX, do ponto de vista da atração e do gosto populares. No Piauí, de acordo com Higino Cunha, o teatro era diversão verdadeiramente atraente, e esse gosto persistiu na primeira década do século XX, conforme atestado por inúmeros registros da época. Sobretudo entre 1908 e 1925, proliferam os clubes dramáticos em Teresina e é perceptível o envolvimento da sociedade local com as atividades teatrais, na condição de promotores, amadores ou apenas assistentes. Esse período coincide com a mais vigorosa atuação de Jônatas Baptista, como escritor, ator e produtor teatral.

A crescente demanda por lazer e por lazer que contemplasse a família burguesa, da incipiente classe média urbana, permite o esforço ora mais, ora menos bem sucedido de produzir e recepcionar grupos e associações diferentes ligados à música, ao teatro, ao cinema e às diversas formas de passeios distintos, do tipo “jardins”, de que em Teresina é expressão maior a Praça Rio Branco, entre a segunda e a quarta décadas deste século. Por outro lado, essa demanda não possibilita a eclosão do interesse pela escritura voltada para o palco. Nesse sentido, Jônatas Baptista é quase o autor único de obras dramáticas no período considerado.

VEJA MAIS SOBRE JÔNATAS BATISTA NA PUBLICAÇÃO ABAIXO