Pnud e Seplan entregam estudo sobre empoderamento econômico de mulheres

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
MULEHRES APL

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), em parceria com o Governo do Piauí, por meio da Secretaria de Planejamento (Seplan), apresentou, nesta quarta-feira (29), no auditório da Academia Piauiense de Letras, o relatório final do projeto “Mulheres Resilientes, Cidades Resilientes”.

Segundo Ismália Afonso, analista de Programa de Gênero e Raça do Pnud no Brasil, o estudo é uma estratégia inovadora para elaborar respostas mais eficazes à complexidade dos diferentes desafios para o desenvolvimento sustentável do público feminino.?

“Estamos chegando hoje ao final do projeto “Mulheres Resilientes, Cidades Resilientes” que contemplou cinco municípios da região metropolitana de Teresina e que representou o esforço de identificação de problemas e aprofundamento de propostas de solução para a igualdade de gênero e empoderamento econômico de mulheres jovens nas cidades de Teresina, Demerval Lobão, José de Freitas, Nazária e Timon, no Maranhão”, informou.

O relatório apresenta um conjunto de 20 propostas voltadas para a melhoria da capacidade produtiva das mulheres jovens desta região, num rol de sugestões com base num trabalho de um ano de diagnóstico e de construção coletiva com gestores e trabalhadores dos equipamentos públicos, onde as mulheres são atendidas”, explicou a analista.

O secretário do Planejamento, Antonio Neto, destacou a importância da cooperação Seplan-Pnud, que fez do Piauí o estado pioneiro na implementação desse projeto. “Temos agora um documento que norteará o desenvolvimento de políticas públicas para as mulheres, um diagnóstico para instrumentalizar as prefeituras e demais órgãos públicos a materializar mudanças voltadas à igualdade de gênero”, afirmou.

A vice-governadora Regina Sousa explicou que o documento é um diagnóstico sobre a situação da mulher e um plano para definição e execução de políticas públicas para transformar para melhor a realidade delas.

A Academia Piauiense de Letras foi representada no evento pelo seu presidente, jornalista Zózimo Tavares, e pela secretária geral, Fides Angélica.

(Fonte: CCom e Ascom/APL)