APL presta homenagem à memória de Assis Brasil

4

“Assis Brasil foi o maior fenômeno da prosa ficcional da história literária do Piauí”, afirmou o professor e acadêmico Dilson Lages, na oração da saudade em memória do escritor.

O panegírico de Assis Brasil foi realizado no sábado passado (28/05), na Academia Piauiense de Letras, exatamente na passagem de seis meses do falecimento do escritor.

Dilson Lages disse que Assis Brasil, nascido em Parnaíba, em 1929, escreveu e publicou 140 livros, muitos deles reeditados várias vezes.

Sua trajetória literária foi iniciada em 1953, com o romance infanto-juvenil “Verdes mares bravios”.

Ao mesmo tempo, publicava artigos que o levaram a ser um escritor profissional.

A busca da perfeição

A professora Divaneide Carvalho fez o discurso de agradecimento da homenagem da APL, em nome da família, e destacou que Assis Brasil incursionou por todos os gêneros literários,

Foi jornalista, professor, historiador literário, tradutor, antologista, ensaísta e dicionarista, ao longo de mais de 60 anos de intensa atuação no campo das letras.

“Ascendeu sempre rumo à perfeição textual”, enfatizou, assinalando que o escritor atingiu o seu apogeu com o centésimo livro, intitulado “O sol crucificado”, publicado em 1998 e dedicado ao romancista O. G. Rego de Carvalho.

A homenagem

O panegírico de Assis Brasil, realizado no auditório da APL, contou ainda com a presença dos acadêmicos Carlos Evandro Eulálio, Elmar Carvalho, Felipe Mendes, Fides Angélica (secretária geral da APL e cerimonialista), Fonseca Neto (1º secretário), Francisco Miguel de Moura, Itamar Costa, Luiz Ayrton Santos Júnior, Magno Pires (vice-presidente), Nelson Nery (presidente do Conselho Estadual de Cultura), Oton Lustosa, Plínio Macêdo, Reginaldo Miranda e Teresinha Queiroz.

Também participaram virtualmente da Sessão Solene da Academia, realizada no formato híbrido e conduzida pelo presidente Zózimo Tavares, os acadêmicos Jonathas Nunes, Moisés Reis e Pedro da Silva Ribeiro, este de Brasília.

Entre os convidados, destacaram-se as presenças da presidente da União Brasileira de Escritores, Seção do Piauí, Lisete Napoleão Medeiros, da professora Raimunda Celestina (UESPI) e do professor Luiz Romero, da coordenação do Salão do Livro do Piauí (Salipi).

A Academia Piauiense de Letras publicou de Assis Brasil o livro “O Prestígio do Diabo”, volume 83 da Coleção Centenário,

Mesa de honra do Panegírico de Assis Brasil, na APL.

Acadêmicos presentes ao panegírico de Assis Brasil.