Paralisação das atividades ‘sine die’ da APL

A Academia Piauiense de Letras comunica que, em função da pandemia do Coronavirus (COVID-19), declarada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), e seguindo as orientações das autoridades brasileiras de prevenção do contágio, SUSPENDEU as suas atividades sine die a partir desta data.

A suspensão abrange eventos no auditório, como lançamentos de livros, palestras, oficinas literárias, etc., bem como as reuniões ordinárias e as visitas à Biblioteca e ao Memorial Literário.

A APL funcionará internamente com estrutura mínima e a retomada de seu calendário de atividades e sua reabertura ao público serão precedidas de novo comunicado.

Teresina, 16 de março de 2020

A Diretoria

Academia apoia campanha pela alfabetização na idade certa

A Academia Piauiense de Letras participou, através de seu presidente, Zózimo Tavares, da premiação de 58 municípios que receberam, em Teresina, o ‘Selo Undime Piauí de Alfabetização’.

A cerimônia foi realizada no último dia 5, no Cine Teatro da Assembleia Legislativa, e contou com a participação de prefeitos, entre eles o presidente da APPM, Jonas Moura, parlamentares, gestores, educadores e outros convidados.

Também se fizeram presentes o secretário de Educação, Ellen Gera, o presidente do Conselho Estadual de Educação, e Luís Soares Santos Filho, além de representantes do Tribunal de Contas, Sebrae e outras instituições.

Meta nº 5

A Undime é a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação e nos Estados congrega os secretários municipais de Educação.

O prêmio instituído pela entidade reconhece o desempenho dos municípios que se destacaram na avaliação do cumprimento da Meta 5 do Plano Nacional de Educação.

Essa meta exige que a criança seja alfabetizada até a 3ª. série. Isto é, a partir daí, ela deve saber ler e escrever com fluência, além de compreender o texto.

A campanha da Undime tem o objetivo de elevar o índice de alfabetização no Piauí. A nota mínima estabelecida para a concessão do selo foi de 7, mas muitos municípios conseguiram 8 e 9 na avaliação.

O presidente da APL considerou a iniciativa da maior importância, na medida em que a premiação reconhece e incentiva a alfabetização das crianças na idade certa.

“A leitura é a chave que abre todas as demais portas do conhecimento. É preciso, então, que a criança desenvolva e domine essa habilidade o quanto antes”, comentou.

Acadêmicos prestigiam reabertura do Conselho Estadual de Cultura

O Centro Cultural M. Paulo Nunes, sede do Conselho Estadual de Cultura, no bairro Vermelha, zona Sul de Teresina, foi reaberto hoje (02.03) em solenidade que reuniu autoridades e personalidades da área cultural.

“A biblioteca ganhou acervo, o auditório recebeu climatização, sistemas de som e projeção”, destacou o secretário de Cultura, deputado Fábio Novo, ao falar do novo espaço.

Houve também o lançamento da nova edição da revista Presença, que homenageia o escritor M. Paulo Nunes, ex-presidente do Conselho e da Academia Piauiense de Letras.

O espaço ganhou ainda internet veloz, através do Piauí Conectado e uma parceria para exibição de filmes. A comunidade e escolas do entorno da Vermelha serão chamadas para compartilhar das novidades.

O governador Wellington Dias destacou o esforço do governo para destinar recursos com vistas à dinamização da cultura no Piauí.

O presidente do Conselho Estadual de Educação, Nelson Nery, afirmou que a zona Sul de Teresina viverá uma nova história com o novo Conselho.

Vários membros da Academia Piauiense de Letras participaram do evento, entre eles o presidente Zózimo Tavares, o vice-presidente Magno Pires e a secretária geral Fides Angélica, além de Elmar Carvalho, Felipe Mendes, Itamar Costa, Pedro da Silva Ribeiro, Plínio Macedo e Reginaldo Miranda.

Sai nova edição do livro da família Mendes

A família Mendes lançou em 15 de fevereiro a terceira edição (ampliada) do livro que registra a memória e a descendência de Joaquim Mendes e Isabel Elisa.

O livro, organizado pelo filho mais novo do casal, economista, professor e acadêmico Felipe Mendes, reuniu em Teresina parentes vindos de Fortaleza, Petrolina, Recife, Picos, Paulistana, Brasília, Simplício Mendes, Portugal e outros lugares.

A descendência

Dos 16 filhos do casal, que tem origem em Simplício Mendes, restam nove.

Estiveram ausentes à festa de confraternização da família apenas Sebastião e Osvaldo.

Dolores, de 92 anos, faleceu na véspera. Já haviam falecido Noé, Marcelino, Quincas, Silvio, Elisa e Zélia.

Até a entrega do livro na gráfica, no mês passado, eram 332 descendentes de Joaquim e Isabel Elisa.

Nasceram mais dois após da impressão do livro.

São 16 filhos, 78 netos, 151 bisnetos, 81 trinetos e 6 tetranetos.

 

APL defende a adoção de autores piauienses em audiência pública do CEE

A Academia Piauiense de Letras participou, através de seu presidente, jornalista Zózimo Tavares, da audiência pública realizada hoje (20.02), pelo Conselho Estadual de Educação, para discutir o novo currículo do Ensino Médio.

O debate é travado em todo o país. Cada Estado está encarregado de elaborar as diretrizes curriculares para esta etapa do ensino básico.

Os Estados seguem o cronograma de implementação da Base Nacional Comum Curricular, a BNCC.

Participaram do evento técnicos e dirigentes da Secretaria Estadual de Educação que estão trabalhando a reforma.

Mais de 20 instituições interessadas na questão também se fizeram presentes ao debate e ofereceram propostas.

A Academia, por exemplo, defendeu a adoção do ensino de literatura piauiense nas escolas, como determina a Constituição Estadual, em seu Artigo 226.

Também pediu que seja incluído no novo currículo o cumprimento da Lei 6.553/14 (Lei Merlong Solano). Ela determina que pelo menos um terço dos livros paradidáticos adotados pelas escolas das redes pública e privada sejam de autores piauienses.

As mudanças no Ensino Básico dão margem a que cada Estado defina seu currículo de referência, contemplando as questões regionais e locais.

As escolas também têm autonomia para elaborar seus currículos.

Diretoria da APL começa articulações para levar a Literatura Piauiense às escolas

O Conselho Estadual de Educação foi a primeira instituição visitada pela nova Diretoria da Academia Piauiense de Letras nesta quinta(13) e teve como objetivo de levar a Literatura Piauiense para as escolas.

A determinação está prevista no parágrafo 1º do Inciso V do Art. 226 da Constituição do Piauí, que torna obrigatório o ensino de Literatura Piauiense nas escolas públicas e particulares do Estado.

Os dirigentes da APL foram recebidos pelo presidente do Conselho, professor Francisco Soares Filho, e pela vice-presidente, professora Margareth Santos.

 

A APL ficou de encaminhar oficialmente ao Conselho Estadual de Educação uma exposição sobre a questão.

Boa receptividade

O presidente da Academia, Zózimo Tavares, afirmou que a direção do Conselho foi muito receptiva.

Também participaram do encontro, de natureza informal, os acadêmicos Magno Pires (vice-presidente), Dilson Lages (2º secretário) e Elmar Carvalho, presidente da UBE-PI quando da elaboração da Constituição do Piauí de 1989.

Por solicitação da entidade, foi inserido na Constituição Estadual o dispositivo sobre Literatura Piauiense.

Até agora o texto não passa de letra morta e o seu cumprimento é a meta-síntese da nova Diretoria da APL.

Fotos: Posse de Moisés Reis na Cadeira 28 da APL

O advogado e escritor Moisés Reis tomou posse na Cadeira nº 28 da Academia Piauiense de Letras, que era ocupada pelo desembargador e escritor Manfredi Mendes de Cerqueira. Fotos: Carlos Rubem

Moisés Reis toma posse na Cadeira 28 na APL

O advogado e escritor Moisés Reis toma posse hoje na Cadeira nº 28 da Academia Piauiense de Letras, que era ocupada pelo desembargador e escritor Manfredi Mendes de Cerqueira.

A sessão solene de posse do novo acadêmico acontece nesta quinta-feira(6) e será realizada no Cine Teatro da Assembleia Legislativa, a partir das 19h30. O discurso de recepção será proferido pelo médico e escritor Dagoberto Carvalho Júnior.

Moisés Reis foi eleito para a APL em 23 de novembro. Seu último livro publicado foi “Constitucionalismo e Profecia em Roberto Campos, O Liberal e o Liberalismo na Constituição de 1988”, lançado em 2015 na Academia Piauiense de Letras.

O autor publicou ainda os livros “Olhos de Argos” (1999) e “Flores Vermelhas em Noites Azuis (2008), ambos de crônicas.

A carreira profissional – Moisés Reis nasceu em Oeiras. Advogado, consultor de empresas, com desempenho profissional ativo na Justiça local e perante a tribunais do país, é pós-graduado em Direito e Processo Tributário pela Universidade Federal do Ceará (UFC) e Mestre em Direito Internacional, Econômico e Tributário pela Universidade Católica de Brasília.

Na área pública, exerceu diversos cargos, com destaque para Secretaria de Fazenda do Estado do Piauí; Diretor Geral do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí, Procurador Geral do Município de Teresina e Deputado Estadual.

Pnud e Seplan entregam estudo sobre empoderamento econômico de mulheres

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), em parceria com o Governo do Piauí, por meio da Secretaria de Planejamento (Seplan), apresentou, nesta quarta-feira (29), no auditório da Academia Piauiense de Letras, o relatório final do projeto “Mulheres Resilientes, Cidades Resilientes”.

Segundo Ismália Afonso, analista de Programa de Gênero e Raça do Pnud no Brasil, o estudo é uma estratégia inovadora para elaborar respostas mais eficazes à complexidade dos diferentes desafios para o desenvolvimento sustentável do público feminino.?

“Estamos chegando hoje ao final do projeto “Mulheres Resilientes, Cidades Resilientes” que contemplou cinco municípios da região metropolitana de Teresina e que representou o esforço de identificação de problemas e aprofundamento de propostas de solução para a igualdade de gênero e empoderamento econômico de mulheres jovens nas cidades de Teresina, Demerval Lobão, José de Freitas, Nazária e Timon, no Maranhão”, informou.

O relatório apresenta um conjunto de 20 propostas voltadas para a melhoria da capacidade produtiva das mulheres jovens desta região, num rol de sugestões com base num trabalho de um ano de diagnóstico e de construção coletiva com gestores e trabalhadores dos equipamentos públicos, onde as mulheres são atendidas”, explicou a analista.

O secretário do Planejamento, Antonio Neto, destacou a importância da cooperação Seplan-Pnud, que fez do Piauí o estado pioneiro na implementação desse projeto. “Temos agora um documento que norteará o desenvolvimento de políticas públicas para as mulheres, um diagnóstico para instrumentalizar as prefeituras e demais órgãos públicos a materializar mudanças voltadas à igualdade de gênero”, afirmou.

A vice-governadora Regina Sousa explicou que o documento é um diagnóstico sobre a situação da mulher e um plano para definição e execução de políticas públicas para transformar para melhor a realidade delas.

A Academia Piauiense de Letras foi representada no evento pelo seu presidente, jornalista Zózimo Tavares, e pela secretária geral, Fides Angélica.

(Fonte: CCom e Ascom/APL)