APL recebe Certificado do Siec 21

A Academia Piauiense de Letras já recebeu da Secretaria Estadual de Cultura o Certificado de Habilitação do Siec 2021.

Com isso, a APL está habilitada a captar recursos junto à iniciativa privada através do Sistema de Incentivo à Cultura.

A Academia teve aprovado um projeto no valor de R$ 50 mil para desenvolver suas atividades este ano.

O certificado foi entregue no Palácio da Cultura pela secretária do Siec, Rosinha Amorim, ao vice-presidente da APL, acadêmico Magno Pires, que representou a entidade por designação do presidente Zózimo Tavares.

O Siec 21

Este ano, houve um recorde de inscrições, chegando a quase 1.600 projetos apresentados ao Sistema Estadual de Incentivo à Cultura.

Desse total, 211 projetos foram aprovados para a captação de recursos, quase o dobro do ano passado. Um deles foi o da APL.

No ano passado, a Academia aprovou um projeto para produção de um documentário sobre a APL. O projeto foi integralmente patrocinado pela Equatorial Energia.

O filme está sendo finalizado, com lançamento previsto para agosto.

 

 

 

 

Acadêmico Luiz Ayrton toma posse hoje na ABM

O médico, professor e acadêmico Luiz Ayrton Santos Júnior, ocupante da Cadeira 16 da Academia Piauiense de Letras, toma posse hoje (17/06) na Academia Brasileira de Mastologia.

Ele será empossado na condição de membro fundador e titular da Cadeira 3, que tem como patrono Jose Baptista da Silva Neto.

A sessão solene e virtual de posse do novo membro da ABM marcará também a inauguração da entidade. O ato será transmitido pelo canal da Academia Brasileira de Mastologia no YouTube, a partir das 20h.

Após a abertura da sessão, haverá a palavra do presidente, leitura do juramento, ato de posse dos 40 membros da Academia e palestra inaugural, com o tema “Civilidade e etiqueta social para o médico em formação”, a ser proferida pela jornalista Glória Kalil.

Governo Federal orienta sobre saldos da Lei Aldir Blanc

A Secretaria Especial da Cultura publicou o Comunicado 5/2021 solicitando que os municípios mantenham os saldos remanescentes nas contas bancárias da Lei Aldir Blanc, que destinou recursos de forma emergencial para o setor cultural enfrentar a pandemia da Covid-19.

Assim, os municípios não devem realizar movimentações financeiras desses recursos até que sejam publicadas as alterações necessárias no Decreto 10.464/2020.

O comunicado, publicado no Diário Oficial da União (edição de 15/06) também explica que a orientação do governo federal é para evitar que a execução dos recursos pelos municípios ocorra em desacordo com a futura regulamentação federal.

Planejamento

A Confederação Nacional dos Municípios alertou para a importância de as prefeituras planejarem suas ações antecipadamente, já que terão até 31 de dezembro para executar os recursos.

Desta forma, a Confederação recomenda que os gestores locais aguardem a regulamentação federal para efetivarem suas respectivas ações de execução dos recursos, mas que já comecem a organizar a sua atuação, elaborando, por exemplo, o texto de editais.

Na medida em que o regramento seja de fato consolidado por meio da publicação da regulamentação federal, a CNM elaborará os materiais técnicos para orientar os municípios na execução dos recursos em 2021.

(Fonte: D.O.U e CNM)

Projeto “Te Aquieta e Lê” volta com 10 mil livros

O Projeto “Te Aquieta e Lê”, lançado em 2020, será retomado ainda este mês.

A Secretaria de Cultura está ultimando as providências para a execução da segunda etapa do programa.

O projeto foi implantado em abril do ano passado, com o apoio da Academia Piauiense de Letras, para incentivar a leitura durante o período de isolamento social decorrente da pandemia da Covid-19.

Até o início deste ano, mais de 8 mil livros foram distribuídos gratuitamente para leitores de mais de 130 municípios do Piauí.

Projeto permanente

A APL propôs, através de seu presidente, Zózimo Tavares, que o projeto seja permanente, como forma de fazer circular por todo o Estado os livros dos autores piauienses, cuja distribuição fica restrita praticamente a Teresina.

A Academia apoia o projeto também com a doação de livros de autores piauienses publicados pelas Coleções Centenário e Século 21, abrangendo todos os gêneros – romance, conto crônicas, poesia, história, etc.

Nesta nova etapa, o programa vai distribuir 10 mil livros, dos quais 3 mil já estão em estoque.

Cada leitor poderá escolher até dois livros no site da Secult, com o preenchimento de um cadastro com seu nome e endereço de entrega.

Brasil perde leitores para redes sociais

O Brasil perdeu cerca de 4,6 milhões de leitores entre 2015 e 2019, segundo dados da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil.

Conforme os dados mais recentes sobre os hábitos de leitura no país, divulgados no final do ano passado, a redução foi sentida, sobretudo, entre leitores com ensino superior e na classe A.

A internet e as redes sociais são apontadas na pesquisa entre as causas da queda no índice de leitura no país.

Em 2015, 47% dos entrevistados informaram que usavam a internet no tempo livre. Esse percentual aumentou para 66% em 2019.

Já o uso de WhatsApp passou de 43% para 62%.

De acordo com o estudo, 82% dos leitores gostariam de ter lido mais, 34% alegaram falta de tempo e 28% disseram que não leram porque não gostam.

Nas redes sociais

Segundo a coordenadora da pesquisa, Zoara Failla, as pessoas estão usando o seu tempo livro não para a leitura de literatura, mas nas redes sociais.

“A gente nota que a principal dificuldade apontada é tempo para leitura e o tempo que sobra está sendo usado nas redes sociais”, afirma Failla.

Segundo a pesquisa, as maiores quedas no percentual de leitores foram observadas entre as pessoas com ensino superior, que passou de 82% em 2015 para 68% em 2019, e na classe A, que passou de 76% para 67%.

Esta é a 5ª edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, realizada pelo Instituto Pró Livro em parceria com o Itaú Cultural.

Média de leitura

O brasileiro lê, em média, menos de cinco livros por ano. Destes, a Bíblia é citada como o tipo de livro mais lido pelos entrevistados.

Segundo ainda a pesquisa, 5% dos leitores disseram que não leram mais porque acham os livros caros.

Um dos fatores que influenciam a leitura, diz o estudo, é o incentivo de outras pessoas. Um a cada três entrevistados, o equivalente a 34%, disse que alguém o estimulou a gostar de ler.

(Fonte: Agência Brasil e diáriodonordeste.verdesmares.com.br )

Presidente da FCMC visita a APL

A Academia Piauiense de Letras recebeu hoje (10/06) a visita do presidente da Fundação Cultural Monsenhor Chaves, Scheyvan Lima. Ele estava acompanhado do assessor Jairo Cézar Sherlock.
O presidente da Fundação Cultural levou à APL o interesse da Prefeitura de Teresina de retomar a parceria com a instituição, que funcionou vigorosamente até 2019.
Ele adiantou que a Lei A. Tito Filho passará por reformas e será revitalizada para incentivar as produções culturais, artísticas e literárias de Teresina.
Os dirigentes da Fundação Cultural Monsenhor Chaves foram recebidos pelo presidente da APL, Zózimo Tavares; a secretária geral, Fides Angélica, e o tesoureiro, Humberto Guimarães.

Anfrísio toma posse na APL dia 23

O médico e professor Anfrísio Neto Lobão Castelo Branco toma posse na Cadeira 20 da Academia Piauiense de Letras no próximo dia 23, às 19 horas.

A sessão solene de posse do novo acadêmico será realizada no formato virtual, com transmissão através das plataformas digitais.

O discurso de recepção será proferido pelo acadêmico Humberto Guimarães.

A Cadeira 20 tem como patrono Álvaro Mendes. Seu último ocupante foi o padre Raimundo José Airemoraes Soares.

Anfrísio Lobão foi eleito para a APL em primeiro turno, no dia 17 de abril. O processo de escolha do novo imortal foi conduzido pela Comissão Eleitoral presidida pelo acadêmico Reginaldo Miranda e composta pelos acadêmicos Magno Pires, Fonseca Neto, Dilson Lages e Elmar Carvalho.

O novo acadêmico

Anfrísio Lobão é médico psiquiatra.  É também professor universitário aposentado. Foi reitor da Universidade Federal do Piauí e ainda secretário de Saúde, de Governo e de Educação do Estado do Piauí.

Presidiu do Tribunal de Contas do Estado. É conselheiro aposentado do TCE.

O romance “Mandu Ladino” é o seu livro mais conhecido.

 

Canal da APL disponibiliza gravação de panegírico

A TV APL, o Canal da Academia Piauiense de Letras no YouTube, disponibilizou hoje (07/06) a gravação da Sessão Especial do Panegírico do Padre Raimundo José Airemoraes Soares, último ocupante da Cadeira 20.

A oração da saudade foi proferida pelo acadêmico Celso Barros Coelho, 99 anos, com discurso de agradecimento do advogado João Pedro Ayrimoraes Soares, irmão do homenageado.

Celso Barros, 99 anos, comove APL no panegírico do Padre Raimundo José

A memória do padre Raimundo José Airemoraes Soares, último ocupante da Cadeira 20, foi reverenciada pela Academia Piauiense de Letras em sessão solene realizada ontem (5/6).

O panegírico teve como orador o acadêmico Celso Barros Coelho, de 99 anos. Foi ele quem fez também o discurso de recepção ao padre, quando ele tomou posse na APL, em 12 de agosto de 2004.

“Foi um momento de glória e felicidade, porque recebíamos o sacerdote e intelectual. Hoje é o contrário. Já não celebramos o ingresso dele na imortalidade, mas na eternidade”.

Celso Barros acentuou a presença do diálogo e da fé na vida do padre Raimundo José e disse que ainda podemos continuar a ouvi-lo, sempre que abrirmos o seu livro “A cidade medita”.

O discurso de agradecimento da homenagem, em nome da família, foi proferido pelo advogado João Pedro Ayrimoraes Soares, irmão do padre Raimundo José.

Ele destacou que o padre, no plano existencial, foi um gênio e um sábio e, no plano espiritual, um verdadeiro santo.

A sessão

A sessão virtual foi conduzida pelo presidente da APL, Zózimo Tavares, com os trabalhos de cerimonial desenvolvidos pela secretária-geral, acadêmica Fides Angélica.

Compuseram a mesa de honra o reitor da Universidade Federal do Piauí, professor Gildásio Guedes, e o presidente do Conselho Estadual de Cultura, acadêmico Nelson Nery Costa, além de Celso Barros e João Pedro Ayrimoraes Soares.

Participaram da sessão ainda os acadêmicos Dilson Lages, Elmar Carvalho, Felipe Mendes, Jônathas Nunes, Itamar Costa, Moisés Reis, Nelson Nery, Nildomar da Solveira Soares, Oton Lustosa e Plínio Macedo, além de amigos e ex-alunos do homenageado.

O padre Raimundo José faleceu em Teresina em 7 de novembro do ano passado.

João Pedro agradece homenagem ao irmão na APL
Sessão da APL em homenagem ao padre e acadêmico Raimundo José

APL homenageia a memória do padre Raimundo José

A Academia Piauiense de Letras realiza Sessão Especial, neste sábado (5/6), em memória do padre e acadêmico Raimundo José Airemoraes Soares, último ocupante da Cadeira 20. O orador será o acadêmico Celso Barros Coelho.

A sessão começa às 10h e será realizada e transmitida através de plataformas digitais.

O padre Raimundo José Airemoraes Soares faleceu em 7 de novembro do ano passado, em Teresina, aos 87 anos.

Ele tomou posse na Academia Piauiense de Letras em 12 de agosto de 2004.

Doutor da Igreja – Nascido em São Pedro do Piauí, em 30 de março de 1933, Raimundo José Airemoraes Soares fez o Curso de Filosofia no Seminário Maior de Olinda, Pernambuco.

Era diplomado em Filosofia pela Academia Romana de Santo Tomás. Bacharel e licenciado (mestrado) em Sagrada Escritura, pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma, Itália.

Bacharel e licenciado (com mestrado) em Teologia, pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.

Era doutor (PhD) em Teologia Pastoral, pela Universidade de Montreal, Canadá).

Publicou, entre outros, o livro “A Cidade Medita”.