Acadêmicos lamentam a partida de Assis Brasil

Escritor Assis Brasil: mais de 100 livros publicados.

O falecimento do jornalista e escritor Assis Brasil foi lamentado por membros da Academia Piauiense de Letras, onde ele ocupava a Cadeira 36 e desfrutava da amizade e da admiração dos confrades.

Em mensagens no Grupo de WhatsApp da APL, os colegas manifestaram seu pesar pela perda do escritor.

Para o acadêmico e desembargador Oton Lustosa, “perdemos um ficcionista de grande valor no cenário da literatura brasileira, com vários livros publicados”.

O acadêmico, historiador e deputado Wilson Brandão destacou que Assis Brasil como “um grande brasileiro!”

A acadêmica Socorro Rios Magalhães, professora de Literatura, afirmou que o falecimento do escritor significa “Uma grande perda para a literatura brasileira”.

O médico e acadêmico Luiz Ayrton Santos Júnior esteve na casa do escritor ajudando o editor Leonardo Dias a providenciar o velório. E disse que Assis Brasil “estava com um semblante de paz”.

Para o acadêmico Magno Pires, “o falecimento de Assis Brasil emudece, em parte, a literatura brasileira e a piauiense, porquanto autor de mais de 100 obras; entretanto, essas obras representam o seu grandioso legado à sociedade nacional. Falece o escritor, porém, as obras permanecerão divulgando o escritor brasieleiro Assis Brasil”.

O acadêmico Nelso Nery, também presidente do Conselho Estadual de Cultura, escreveu que “o Brasil perdeu um grande escritor”.

O velório será na Pax União e o sepultamento está marcado para as 16h, no Jardim da Ressureição.

A APL divulgou Nota de Pesar ontem à noite:

Governador faz visita de cortesia à APL

Imagens: Jairo Moura

O governador Wellington Dias fez visita de cortesia, ontem (27/11), à Academia Piauiense de Letras, onde foi recebido por toda a diretoria e vários acadêmicos.

Ele agradeceu a contribuição da APL ao Estado, através da publicação das coleções “Centenário” (com 150 títulos) e “Século 21” (com 60 títulos) e de várias outras iniciativas literárias e culturais.

Também lembrou que já esteve na sede da Academia em vários momentos, como em solenidades de posse, conferências e lançamentos de livros.

O presidente da APL, Zózimo Tavares, agradeceu a visita em nome dos acadêmicos e apresentou um breve balanço das atividades da instituição.

Ele citou entre as principais a vitória da Academia pela inclusão do Ensino de Literatura Piauiense nas escolas públicas e privadas como disciplina obrigatória, a partir de 2022.

O governador recebeu um kit de obras lançadas pela APL, incluindo “Trechos do Meu Caminho”, livro de memórias do ex-governador e ex-senador Leônidas Melo, e a última revista da Academia.

APL elege o padre Tony Batista para Cadeira 22

Padre Tony (ao centro) na APL para agradecer eleição.

A Academia Piauiense de Letras elegeu hoje (27/11) o padre Tony Batista para ocupar a Cadeira 22, vaga com o falecimento do acadêmico Nildomar da Silveira Soares, ocorrido em agosto passado.

O anúncio do resultado do pleito foi feito no final da manhã pelo presidente da Comissão Eleitoral da APL, acadêmico Reginaldo Miranda.

Dos 31 votos computados, o padre Tony recebeu 27. Foram registrados um voto em branco e um nulo.

Como de praxe, o candidato eleito foi à Academia após a proclamação do resultado pelo presidente, Zózimo Tavares, para agradecer a sua acolhida no sodalício.

O advogado Sérgio Silveira, filho do desembargador e acadêmico Nildomar, acompanhou na sede da APL o anúncio do resultado e disse que a família estava satisfeita com a eleição do padre Tony.

O novo acadêmico

Antônio Soares Batista, o padre Tony, é vigário-geral da Arquidiocese de Teresina, professor universitário, jornalista, radialista escritor e orador sacro.

Formou-se em Filosofia pela Universidade Católica de Salvador e fez mestrado na Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.

Especializou-se em Comunicação pela Pontifícia Universidade Católica de Santiago do Chile e fez curso de francês na Sorbone (França).

Na Arquidiocese de Teresina, exerceu, entre outras funções, as de pároco da Paróquia de Nossa Senhora de Fátima (de 1975 a 2000), vigário episcopal para as Comunicações e Ação Social e de professor de Teologia.

Desde a juventude, tem uma atuação intensa nos meios de comunicação: rádio jornal, televisão, revista e, agora, nas mídias sociais.

Diretor da ASA (Ação Social Arquidiocesana) e presidente da Fundação Dom Avelar Brandão Vilela, mantenedora da Rádio Pioneira de Teresina.

Bibliografia

Três obras do e sobre padre Tony foram lançadas recentemente: “Frutos de Fátima, uma Paróquia Santa”, sobre a primeira paróquia de Teresina à margem direita do rio Poty, na expansão da capital para a zona Leste; o livro-álbum “Memórias de um Peregrino”, com os registros de dezenas de 30 viagens suas à Terra Santa, e a autobiografia “Padre Tony – o irmão mais velho”.

Comissão Eleitoral da Academia apura os votos.

 

Comissão Eleitoral da Academia apura os votos.

Sérgio Silveira acompanha anúncio do resultado da eleição na APL.

Acadêmico faz palestra em evento literário nacional

O médico, professor e acadêmico Luiz Ayrton Santos Júnior será um dos palestrantes da Semana Literária Abrames em Prosa e Verso 2021.

O evento começa na sexta-feira (26/11), no Rio de Janeiro, e se prolonga até o dia seguinte, no formato virtual.

O acadêmico Luiz Ayrton vai abordar o tema “O verbo bater – análise crítica de um verbo de muitas valências”, às 11h40 de sábado.

A Semana Literária Abrames é realizada pela Academia Brasileira de Médicos Escritores.

O encerramento será com a entrega de troféus e certificados.

Arquidiocese lança livro sobre Dom Severino

Dom Jacinto preside o ato de lançamento do livro sobre Dom Severino/Imagens: Renato Bezerra

A Arquidiocese de Teresina e a editora Nova Aliança lançaram neste domingo (21/11), no Palácio Episcopal, o terceiro volume da Coleção “Sucessores dos Apóstolos em Teresina”.

A obra traz a biografia e a ação pastoral de Dom Severino Vieira de Melo, o terceiro bispo do Piauí.

Ele governou a Diocese entre 1924 a 1955. Foi também o primeiro arcebispo de Teresina.

O ato de lançamento foi presidido pelo arcebispo metropolitano de Teresina, Dom Jacinto Brito, e contou com a presença de convidados.

Duas sobrinhas-netas do biografado, ambas residentes em Teresina, participaram do evento.

A Academia Piauiense de Letras se fez representar pelo seu presidente, Zózimo Tavares, e ainda pelos acadêmicos Itamar Costa, Plínio Macedo e Fonseca Neto, este autor da obra, juntamente com o professor Paulo Libório.

Membros do clero na capital, como o vigário-geral de Teresina, Tony Batista, e padres de paróquias dos municípios também participaram do lançamento.

Estiveram ainda no evento o senador Elmano Férrer, o deputado federal Flávio Nogueira e a deputada estadual Teresa Brito.

A obra é dedicada à memória de Dona Socorro Claudino. Seus filhos Cláudia e João Vicente agradeceram a homenagem.

A Coleção “Sucessores dos Apóstolos em Teresina”, idealizada por Dom Jacinto, já lançou também os volumes sobre Dom Joaquim e Dom Otaviano, os primeiros dois bispos do Piauí.

APL divulga nota de pesar pelo falecimento de arquiteto

Arquiteto e empresário Raimundo Dias

 

A Academia Piauiense de Letras divulgou nota de pesar pelo falecimento do arquiteto e empresário Raimundo Dias, ocorrido hoje (20/11), em São Paulo, onde estava hospitalizado para tratamento contra a Covid-19.

Raimundo Dias era irmão do engenheiro, professor e acadêmico Cid de Castro Dias.

A nota da APL destaca também a contribuição de Raimundo Dias ao Piauí e enumera grandes obras que foram projetadas por ele.

Veja a Nota da APL:

A história de Esperança Garcia no cinema

O cartaz do filme sobre Esperança Garcia/Divulgação

O filme “Uma mulher chamada Esperança”, dirigido pelo cineasta Flávio Guedes, estreia nesta sexta-feira (19/11), em Teresina, com exibições até domingo (21), na Oficina da Palavra.

O lançamento do filme já ocorreu esta semana em Picos, onde foi rodado. Na próxima semana, será exibido em Oeiras.

O filme conta a história da escrava Esperança Garcia e está baseado na carta dela encontrada em 1970, no Arquivo Público do Piauí, pelo historiador Luiz Mott.

No documento, a escrava narra os maus-tratos aos quais era submetida junto com as suas companheiras e os seus filhos. Ela pedia ao chefe da província na época uma providência.

Esperança Garcia também reclamava do fato de ter sido separada do marido e de ser impedida de batizar os filhos.

A OAB-PI estudou o documento por dois anos, através da Comissão Estadual da Verdade da Escravidão Negra, e reconheceu a carta como a primeira petição e sua autora como a primeira advogada do Piauí.

“No Chá das 5”

O cineasta Flávio Guedes foi o entrevistado desta semana do “Chá das 5”, programa da Academia Piauiense de Letras na TV Nestante.

O diretor é natural de Oeiras, onde começou a fazer teatro. Mudou-se para Picos em 1997, onde integrou o grupo PBC – Projeto Bar Cultura.

Dedica-se ao audiovisual há 10 anos, já tendo levado 4 filmes aos cinemas, dentre os quais, “O Pescador e o Rio” e “Eita Píula”.

Flávio Guedes é bancário, pedagogo por formação e atualmente reside em São Paulo.

Veja a entrevista:

https://www.youtube.com/watch?v=6U7QAEuTdXE

Sai novo livro da Coleção “Sucessores dos Apóstolos em Teresina”

Capa do terceiro volume da coleção “Sucessores dos Apóstolos em Teresina”.

Mais um volume da Coleção “Sucessores dos Apóstolos em Teresina” será lançado no próximo domingo (21/11), às 10h, no Palácio Episcopal.

O livro, intitulado “Severino”, trata da vida e da obra sacerdotal de Dom Severino Vieira de Melo, terceiro arcebispo de Teresina.

A obra compõe o terceiro volume da coleção e tem como autores os professores e pesquisadores Fonseca Neto e Paulo Libório.

Eles são autores também dos dois volumes anteriores, “Joaquim” (sobre Dom Joaquim Antônio de Almeida, que chegou em Teresina em 1906, como primeiro bispo) e “Octaviano” (sobre Dom Octaviano Pereira de Albuquerque, o segundo bispo, que governou a Diocese de 1914 até 1922).

O primeiro volume da coleção, idealizada pelo arcebispo metropolitano de Teresina, Dom Jacinto Brito, foi publicado em 2016.

A coleção é uma publicação conjunta da Arquidiocese de Teresina e da editora Nova Aliança.

Garcia é o entrevistado da semana em portal de arte e cultura do Rio

Acadêmico José Ribamar Garcia. Imagem/APL

O portal ArteCult.com, um dos mais tradicionais e prestigiados do Rio de Janeiro, traz na “Entrevista da Semana” uma conversa exclusiva com o escritor e advogado José Ribamar Garcia, ocupante da Cadeira 11 da Academia Piauiense de Letras.

Na entrevista, o escritor conta como foi a sua infância em Teresina – onde nasceu -, como fez carreira profissional no Rio de Janeiro e quando e como começou o seu contato com a literatura.

Ele fala também sobre os escritores de sua admiração, de seu processo de criação literária e de sua obra – construída através do conto, da crônica e do romance – e ainda da APL.

Leia aqui: 

http://artecult.com/ac-encontros-literarios-jose-ribamar-garcia/

Acadêmico destaca aspectos relevantes da história do ensino superior em Parnaíba

Acadêmico Elmar Carvalho, em Sessão Especial da APL.

Em sua palestra “Faculdade de Administração – um dos cincos pilares da UFPI”, o acadêmico e poeta Elmar Carvalho fez uma contextualização da história econômica, social e educacional de Parnaíba.

Ele ressaltou a vocação empresarial e empreendedorista da cidade, tanto na indústria, no comércio, como na prestação de serviços, sobretudo nas áreas da saúde e da educação.

A palestra de Elmar Carvalho foi proferida na Sessão Especial da Academia Piauiense de Letras de sábado passado (13/11), dedicada à Faculdade de Administração de Parnaíba.

Ao discursar em nome da APL, ele relatou um fato hoje desconhecido, até mesmo por quase todos os parnaibanos: antes da Faculdade de Administração, já existira em Parnaíba dois cursos superiores, o de Teologia e o de Filosofia, que funcionaram de 1950 até 1966, quando foram transferidos para Fortaleza e Guaramiranga, no Ceará.

A Faculdade de Administração

O palestrante discorreu sobre os antecedentes da Faculdade de Administração, os embates e dificuldades para sua criação, bem como sobre a instituição da Fundação Educacional de Parnaíba, sua entidade mantenedora. Citou os pioneiros dessas duas instituições educacionais.

Também relatou as principais as ocorrências dessa faculdade, desde seus primórdios até sua incorporação pela Universidade Federal do Piauí (1971), e, posteriormente (2018), pela Universidade Federal do Delta do Parnaíba – UFDPar.

Sua palestra mostrou a evolução do Campus Ministro Reis Velloso (UFPI), que inicialmente tinha apenas os cursos de Administração de Empresas, Ciências Econômicas e Ciências Contábeis, e que depois foi implantando novos cursos, até merecer, em 1992, o status de Centro de Ensino (unidade acadêmica), no organograma da UFPI.

Avançou até os dias atuais, quando  Administração de Empresas e os demais cursos foram absorvidos pela UFDPar, criada por desmembramento da UFPI.

Elmar Carvalho encerra ciclo de palestras em homenagem ao cinquentenário da UFPI.