Acadêmico faz palestra sobre saneamento básico

“Políticas de saneamento básico no Brasil e experiência do Piauí” foi o tema da palestra proferida hoje (07/07) pelo economista, professor e acadêmico Felipe Mendes, na sede do Instituto de Águas e Esgotos do Piauí (IAE-PI).
Felipe Mendes repassou para técnicos e dirigentes do Instituto de Águas e Esgotos do Piauí, o Conselho Estadual de Saneamento Básico (composto de 13 membros) e demais interessados os seus conhecimentos sobre o assunto.
O palestrante é mestre em Saneamento Básico e foi secretário de Planejamento, deputado federal e presidente da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).
Debate democrático
O diretor-geral do IAE-PI, advogado, escritor e acadêmico Magno Pires, explica que a discussão sobre o projeto do novo Marco do Saneamento foi democrática, envolvendo a sociedade civil e especialistas, por meio de audiências públicas realizadas por todo o mês de junho.
“Nas discussões, foram apresentados os entraves e as soluções sugeridas para alcançar nossa meta”, afirma o diretor.
Cobertura
O Instituto de Águas e Esgotos do Piauí (IAE-PI) está mobilizado para cumprir o novo Marco Regulatório do Saneamento Básico.
Esse marco determina a universalização de água em 99% dos municípios brasileiros e do sistema de agosto em 90% das cidades até 2033.
O presidente do IAE informou que, para isso, o Governo do Estado vai enviar à Assembleia Legislativa um projeto de lei que divide o Piauí em 11 microrregiões, para facilitar o alcance da meta no Estado do Piauí.

Jonathas Nunes toma posse dia 20 na Academia Luso-Brasileira de Letras

O professor Jonathas Nunes, ocupante da Cadeira 2 da Academia Piauiense de Letras, toma posse no próximo dia 20 na Academia Luso-Brasileira de Letras (ALBL).

Ele ocupará a Cadeira 24, que tem como patrono Ramalho Ortigão. O discurso de acolhimento será proferido pelo acadêmico Gastão Rúbio de Sá Weyne.

Os convites para a posse do novo membro da ALBL já estão sendo distribuídos pelo seu presidente, Adolpho Pollilo.

Devido à pandemia da Covid-19, a posse foi adiada duas vezes, na previsão de que fosse realizada em sua sede, no Rio de Janeiro, com o brilho da presença de todos os acadêmicos, alguns residentes no exterior.

A incerteza fez a ALBL tomar uma posição: a Posse em Sessão Virtual, às 17 horas do próximo dia 20.

Fundada na década de 1960, a Academia Luso-Brasileira de Letras é uma entidade literária dos países de Língua Portuguesa.

Jonathas Nunes é o primeiro piauiense a ocupar uma cadeira na ALBL. Militar, bacharel em Direito e professor universitário, ele é também PhD em Física pela Universidade de Londres.

Na vida pública, foi deputado federal e reitor da Universidade Estadual do Piauí (Uespi). Presidiu a Academia de Ciências do Piauí.

A menina que já leu 500 livros

Aos 13 anos, Edelainni Araújo Silva, aluna de escola pública de Teresina, está comemorando a leitura de 500 livros.

Ela esteve na sede da Academia Piauiense de Letras, na quinta-feira (1º/07), para celebrar o feito e recebeu de presente uma coleção de livros de autores do Piauí.

Ela foi recebida pelo presidente da APL, Zózimo Tavares, e pela secretária-geral da Academia, Fides Angélica.

Muito comunicativa, Edelainni contou que começou a se interessar pela leitura já aos três anos de idade, e o gosto pelos livros se intensificou quando cursava a 3ª série.

Desde então, todo ano ela passou a se destacar em sua escola como a aluna que mais lia.

Em 2019, ela foi conferir as suas fichas de anotações nas bibliotecas e contou 375 livros já lidos.

De lá para cá, leu mais 175 livros, completando os 500 na semana passada.

São livros de todos os gêneros, mas sua preferência é pelos que contam histórias de magia e fadas.

O livro de número 500 lido por Edilanni foi “Vermelho, branco e sangue azul”, um romance de 385 páginas entre a Casa Branca e o Palácio de Buckingham.

O livro, escrito por Casey McQuiston, foi publicado em 2019.

Escritora mirim

Edelainni é de uma família pobre do bairro Água Mineral, zona Norte de Teresina. O pai, Deusenir Oliveira da Silva, vigilante, dá todo apoio à filha, com muito orgulho.

Ele acompanhava a jovem leitora na visita à Academia Piauiense de Letras, como faz sempre quando ela vai para as livrarias ou o Salão do Livro.

Em 2017, a Secretaria Municipal de Educação publicou um livro seu, intitulado “A Bolinha Mágica”, dentro de um projeto de incentivo à leitura nas escolas.

Por conta disso e pelo seu interesse pelos livros, já é chamada de escritora mirim.

Edilanni estuda na Escola Municipal 15 de Outubro, que funcionava na Avenida Duque de Caxias (dentro do Parque da Cidade).

Ela cursa o oitavo ano e sua escola foi transferida para a Governador Miguel Rosa, perto do Teatro do Boi, no bairro Matadouro.

Estuda das 13 às 17 horas e reserva a noite para as horas de leitura. “Gosto de ler à noite, não tem barulho”.

Ela reclama, entretanto, das aulas on-line, por causa da pandemia da Covid-19: “Não se aprende nada, é só tarefa e mais tarefa”.

Leitura no parque

A menina participa voluntariamente de um projeto cultural no Parque Lagoas do Norte.

A inciativa tem o objetivo de incentivar a leitura entre as crianças e foi interrompida por causa da pandemia.

Ela recebeu a garantia do presidente da APL de que a Academia vai apoiar o projeto quando ele for retomado.

Livro mostra beleza e riqueza da caatinga

“OLHAIS” é o título do novo livro do jornalista e fotógrafo André Pessoa. A obra foi lançada na sexta-feira à noite, em evento virtual, pela Brigada Mandu Ladino.

Durante o lançamento, que contou com a participação de estudiosos, ambientalistas e outros convidados, foram exibidos documentários sobre a preservação da caatinga no Piauí.

Olhais fica no Corredor Ecológico Capivara-Confusões, uma das áreas ainda puras no Nordeste do Brasil. Totens de pedras, animais raros, inscrições rupestres gigantes compõem as imagens do livro.

Entre os convidados, o cineasta Toni Nogueira, o professor José Alves Siqueira, da Universidade Federal do Vale do São Francisco, e o deputado federal Paes Landim.

Eles defenderam que a região da caatinga seja reconhecida como Patrimônio Natural e Cultural da Humanidade.

O jornalista André Pessoa disse que a caatinga é uma biblioteca que foi largada no meio do sertão e que seus livros ainda não foram lidos pelos cientistas.

O coordenador da live de lançamento do livro foi o professor e acadêmico Luiz Ayrton Santos Júnior.

O evento foi prestigiado também pelo acadêmico Felipe Mendes e pelo presidente da Academia Piauiense de Letras, Zózimo Tavares.

Salipi vai retornar no formato virtual

O Salão do Livro do Piauí (Salipi) voltará no segundo semestre deste ano, no formato virtual.

O anúncio foi feito pelo presidente da Fundação Quixote, professor Kássio Gomes, no “Chá das 5”, programa da Academia Piauiense de Letras na TV Nestante (YouTube).

A Fundação Quixote é a coordenadora do evento, que não foi realizado nem em 2020 nem agora por conta das medidas de isolamento social decorrente da pandemia da Covid-19.

O novo formato do Salipi está sendo desenvolvido com planejamento para ser realizado em novembro, conforme o professor Kássio Gomes.

Ele disse que toda a programação do salão presencial será comtemplada: conferências, o Seminário Língua Viva, concurso de redação, lançamentos de livros, bate-papo literário, shows etc.

O Salipi é realizado sempre na primeira quinzena de junho, no Espaço Cultural Rosa dos Ventos, da Universidade Federal do Piauí. A última edição foi a de número 17.

Presidente da APL fala de Literatura Piauiense na UFPI

O presidente da Academia Piauiense de Letras, Zózimo Tavares, participou, hoje (30/06), de aula on-line da disciplina “Literatura Nacional VI – Autores Piauienses” do Curso de Letras da Universidade Federal do Piauí.

A convite da professora Jasmine Malta, ele apresentou aos estudantes uma síntese da história e das atividades da APL, com destaque para o plano editorial.

Também discorreu sobre o movimento da Academia para implantar o ensino de Literatura Piauiense nas escolas das redes pública e particular do Piauí.

A professora Jasmine Malta informou que a disciplina que estuda os autores piauienses é obrigatória na UFPI desde 2010, com 60 horas-aula por semestre. Essa disciplina era optativa até 2009.

O Conselho Estadual de Educação baixou Resolução, no final do ano passado, a pedido da APL, cobrando o ensino de Literatura Piauiense a partir do ano que vem.

Aula no Curso de Letras da UFPI

APL faz convênio com o Sesc Piauí

A Academia Piauiense de Letras e o Serviço Social do Comércio (SESC), Administração Regional do Piauí, celebraram convênio com impactos positivos nas áreas cultural e social.

Através do convênio, os membros da APL, bem como seus dependentes, terão acesso aos serviços oferecidos pelo SESC/PI com pagamento de taxas de retribuição diferenciadas.

Entre os serviços oferecidos pelo SESC/PI estão: biblioteca, desenvolvimento artístico e cultural, desenvolvimento físico e esportivo, educação complementar e turismo social.

Esses serviços são prestados através de suas unidades em Parnaíba, Luís Correia, Teresina, Floriano, Oeiras, Piracuruca e Picos.

Os beneficiários do convênio precisam portar a Carteira do Sesc para acessarem os serviços assegurados pelo convênio, que foi assinado pela diretora administrativa financeira e de Operações do SESC/PI, Lara Socorro Pereira da Costa, e o presidente da APL, Zózimo Tavares.

O presidente da Academia destacou e agradeceu o empenho do acadêmico Valdeci Cavalcante, presidente da Fecomércio no Piauí, para a celebração do convênio.

Palestra sobre cultura nordestina na APL

Uma palestra sobre a cultura nordestina marcou o encerramento, ontem (26/06), do primeiro semestre acadêmico de 2021 na Academia Piauiense de Letras.

A palestra foi proferida pelo professor Wilson Seraine, membro do Conselho Estadual de Cultura.

Ele fez um panorama sobre as mais diversas expressões da cultura do Nordeste – literatura, música, dança, culinária, folclore, cordel, etc.

A sessão, conduzida pelo presidente da APL, Zózimo Tavares, foi realizada através de plataforma digital e transmitida pelo Canal da APL no YouTube.

Participaram da sessão os acadêmicos Dilson Lages, Elmar Carvalho, Fonseca Neto, Jonathas Nunes, Itamar Costa, Luiz Ayrton Santos Júnior, Moisés Reis, Nelson Nery Costa, Nildomar da Silveira Soares, Oton Lustosa, Pedro da Silva Ribeiro (de Brasília) e Plínio Macedo.

Além dos acadêmicos e dos convidados de Teresina, participaram ainda convidados de diversas cidades do interior piauiense, como Água Branca, Campo Maior, Parnaíba, Picos e São Gonçalo do Piauí. O deputado federal Paes Landim participou de Brasília.

A Academia volta a se reunir em agosto, quando será retomado o seu calendário de sessões e eventos.

Palestra sobre cultura nordestina na Academia Piauiense de Letras
Sessão de encerramento do semestre acadêmico na APL

O palestrante

Na apresentação do conferencista, o presidente do Conselho Estadual de Cultura, acadêmico Nelson Nery, informou que Wilson Seraine é professor, produtor cultural, memorialista, pesquisador e escritor.

Formou-se em Licenciatura Plena em Física, na Universidade Federal do Piauí, em 1988.

É especialista em Proteção Radiológica em Aplicações Médicas, Industriais e Nucleares pela Faculdade Casa Branca/São Paulo.

É mestre em Ensino de Ciências e Matemática e doutorando em Engenharia Nuclear no PEN/COPPE/UFRJ.

Há 26 anos é professor de física no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí (IFPI).

É autor de 10 livros nos segmentos de educação e cultura popular, membro da Academia Brasileira de Literatura de Cordel, membro da Academia Brasileira de Letras e Artes do Cangaço e da Academia de Ciências do Piauí.

Grupo Claudino patrocina projeto da APL

O Grupo Claudino, através da Socimol – Indústria de Colchões e Móveis – é o patrocinador do projeto cultural da Academia Piauiense de Letras aprovado pelo Siec/ 2021.

O Siec é o Sistema de Incentivo à Cultura do Estado do Piauí. Este ano, o programa aprovou 211 projetos culturais, um deles o da APL.

O patrocínio do projeto da Academia, no valor de R$ 50 mil, foi autorizado pelo diretor da Socimol, empresário e ex-senador João Vicente Claudino.

No encontro com o presidente da APL, Zózimo Tavares, para tratar do patrocínio cultural, o empresário recebeu um exemplar do livro “Trechos do meu caminho”, de Leônidas Melo.

A segunda edição da obra autobiográfica do ex-governador e ex-senador foi publicada pela Academia Piauiense de Letras, através da Coleção Centenário. A primeira edição do livro saiu em 1976.

O projeto cultural da APL aprovado pelo Siec em 2020 foi patrocinado pela Equatorial Energia. Trata-se de um filme sobre a Academia, que está sendo finalizado.

 

 

 

Anfrísio Lobão toma posse na Cadeira 20

O médico, professor e escritor Anfrísio Lobão é o mais novo membro da Academia Piauiense de Letras.

Ele tomou posse ontem (24/06) na Cadeira 20 da APL, que teve como último ocupante o padre Raimundo José Airemoraes Soares.

A sessão solene de posse do novo acadêmico, conduzida pelo presidente da Academia Piauiense de Letras, Zózimo Tavares, foi realizada no formato virtual e transmitida pelo Canal da APL no YouTube.

O discurso de recepção ao novo imortal foi proferido pelo acadêmico Humberto Guimarães, que enalteceu a carreira profissional e literária de Anfrísio Lobão, com destaque para seu romance “Mandu Ladino”.

O novo acadêmico tomou posse ao lado da esposa, Nísia Castelo Branco, de quem recebeu as vestes acadêmicas.

O cerimonial foi conduzido pela secretária geral da APL, acadêmica Fides Angélica.

Presenças

A mesa de honra foi composta pelo presidente do Conselho Estadual de Cultura, Nelson Nery; o vice-reitor da Universidade Federal do Piauí, Viriato Campelo, a presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheira Lílian Martins, e o presidente da OAB, seção do Piauí, Celso Barros Neto.

Além de familiares e outros convidados especiais, participaram ainda da sessão os acadêmicos Dilson Lages, Elmar Carvalho, Fonseca Neto, Felipe Mendes, Fides Angélica, Hugo Napoleão, Jonathas Nunes, Itamar Costa, Luiz Ayrton Santos Júnior, Moisés Reis, Nelson Nery, Nildomar da Silveira Soares, Oton Lustosa, Plínio Macedo, Reginaldo Miranda, Socorro Magalhães, Valdeci Cavalcante e Wilson Brandão.